Alemão tem vasto trabalho em curadoria

Uma breve análise do curador da Bienal de 2002, Alfons Hug, mostra que ele dividirá a preparação do evento com a diretoria do Instituto Goethe em Moscou e da Asociación Cultural Humboldt em Caracas. Nascido em Hochdorf, Alemanha, Hug, no entanto, não deverá ter grandes problemas com o português já que é casado com uma brasileira e realiza vários projetos no País desde 1992. Seu rosto ainda é uma incógnita na mídia brasileira.Entre 1970 e 76 - estuda Literatura comparativa e Lingüística nas universidades de Freiburg, Berlim, Dublin e Moscou1977 - Começa a trabalhar como representante de uma empresa alemã Entre 1977 e79 - inicia estudos culturais na Índia e Indonésia1980 a 83 - Preside o corpo docente do Instituto Goethe em Frankfurt, Berlim e Düsseldorf1984 - É eleito diretor do Instituto Goethe de Lagos - Nigéria, onde fica no cargo até 1987 1987 - Dirige o Departamento de Planejamento Central do Instituto Goethe em Munique (responsável por um orçamento de 30 milhões de dólares por ano). Deixa o cargo em 1989.1990 - Começa seu mandato no Instituto Goethe de Medellín - Colômbia. No mesmo ano e convidado para dirigir o Instituto Goethe de Brasília.Entre 1994 e 98: É eleito diretor do Departamento de Artes Visuais da Casa das Culturas do Mundo em Berlim (Haus der Kulturen der Welt), orçamento de 1 milhão de dólares anuaisPrincipais Curadorias1985-87 - 15 mostras individuais e coletivas de artistas africanos em Lagos - Nigéria 1992 - Arte Amazonas (catálogo), 25 artistas internacionais em workshops de Belém, Manaus e Porto Velho por ocasião da eco 92 e exposição no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, na Kunsthalle de Berlim e no Ludwig Forum für Internationale Kunst em Aachen1994 - Revendo Brasília (catálogo), projeto fotográfico sobre a capital brasileira1995 - Havana / São Paulo - Arte Contemporânea da América Latina (catálogo) com 30 artistas das Bienais de Havana e São Paulo (1994) na Haus der Kulturen der Welt, Berlim Die Rote Burg (O Castelo Vermelho), catálogo, 10 artistas europeus com uma leitura anual da Alhambra e da convivência das culturas européias e árabes (Haus der Kulturen der Welt, Berlim)1996 - Colours - 30 artistas da África do Sul, Haus der Kulturen der Welt, Berlim (catálogo)Palestra na Bienal de São Paulo sobre a "Arte Periférica" Curadoria de 4 artistas alemães para o projeto de intervenção urbana "Brás-Mitte" em São Paulo e Berlim1997 - Die Anderem Modernen (catálogo), 30 artistas contemporâneos da América Latina, Ásia, África, Haus der Kulturen der Welt, Berlim Zeitwenden, curadoria coletiva (30 curadores internacionais) para o Kuntmuseum em Bonn, com 99 artistas do mundo inteiro, exposição em dezembro de 19991998 - Bienal de Dakar - Senegal, curadoria coletiva com Achille Bonito Oliva e outros

Agencia Estado,

26 de outubro de 2000 | 16h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.