Alemanha anuncia força-tarefa para identificar obras recuperadas

Comunicado oficial assume que cerca de 590 trabalhos podem ter sido roubados por nazistas

AP

11 de novembro de 2013 | 22h00

Após pressões de grupos judeus e especialistas em arte, o governo alemão anunciou detalhes das pinturas recuperadas no lote de 1.400 obras encontradas no ano passado e divulgadas recentemente.

Segundo o comunicado, cerca de 590 obras podem ter sido roubadas pelos nazistas. Surpreendentemente, a lista traz 25 trabalhos publicados no site www.lostarte.de. Entre as obras listadas no site estão Woman in the Theater Box, de Otto Dix, Child at the Table, de Otto Griebel, e Rider on the Beach, de Max Liebermann.

Até agora, as autoridades informaram poucos detalhes das obras encontradas em Munique no apartamento do octogenário Cornelius Gurlitt, apesar de ser sabido que as peças incluem obras de Matisse e Picasso.

Os porta-vozes de Angela Merkel afirmaram nesta segunda que o governo entende as demandas dos grupos judeus de que as obras sejam prontamente divulgadas. Uma nova força-tarefa de seis especialistas será montada pela Alemanha e pelo governo da Bavaria, com o suporte de um grupo de pesquisa da Free University de Berlim. Eles trabalharão em paralelo com o processo que ocorre em Ausburg. 

Também nesta segunda, a polícia de Stuttgard afirmou que, na semana passada, 22 obras de arte foram levadas de uma casa no sul da Alemanha para um local seguro por estarem associadas às descobertas de Munique. A imprensa alemã identificou o dono dos quadros como cunhado de Gurlitt, que estaria preocupado com a segurança dos trabalhos depois das descobertas recentes.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.