Além de canais abertos, Brasil leva 36 produtoras a evento em Cannes

Vai de Ronaldinho Gaúcho a Paulo Coelho, passando por animações e novela infantil, o conteúdo que as produtoras independentes brasileiras apresentarão ao mercado internacional na MipCom, a mais importante feira de TV mundial. Realizado em Cannes, de 7 a 10 de outubro, o encontro marca a 10.ª edição com a presença da Associação Brasileira de Produtoras Independentes de TV (ABPITV), que no exterior atende pela sigla BTVP (Brazilian TV Producers). Este ano, o time será representado por 36 produtoras, quatro a mais que em 2012. O catálogo, claro, está aquecido por Copa e Olimpíada, eventos que alimentam o interesse internacional pelo País. E surpreende pelo crescimento no número de animações e séries de ficção.

Cristina Padiglione, O Estado de S.Paulo

09 Setembro 2013 | 02h16

Produtores do Reino Unido, Catalunha, Argentina e África do Sul já têm rodadas de negócios agendadas no estande da BTVP, não só com fins de compra, mas também de futuras coproduções.

VITRINE

Foi-se o tempo em que a Globo, primeira TV brasileira a pisar em Cannes, era representante única do Brasil no evento, mas seu estande ainda é soberano perto dos conterrâneos. SBT, Record e Band também têm estandes no Palais des Festivals.

Com mais de cem países lá representados por algo como 12 mil profissionais, a MipCom ainda é a melhor vitrine para produtores do mundo todo venderem seu peixe. Foi lá, em outubro passado, que a Netflix anunciou seu maior feito até então, a série House of Cards, com Kevin Spacey, aliás, finalista ao Emmy Awards.

Mais conteúdo sobre:
Cristina Padiglione

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.