Alejandra Icaza expõe trabalhos na Fortes Vilaça

Em sua segunda exposição individual no Brasil, a espanhola Alejandra Icaza apresenta uma série de pinturas inéditas de um caminho que ela vem trilhando desde 1989. São obras em que ela mistura uma série de elementos pertencentes a um vocabulário particular, um "abecedário" inventado, mas com símbolos que representam o mundano: casas, árvores, rostos, escadas, flores. "É sobre tudo o que está no mundo", diz a artista, que coloca esses elementos em meio a círculos de diversas cores, os "pontos de luz" de suas obras. Essa é a descrição direta das pinturas que figuram na exposição Claro de Luna, que Alejandra inaugura nesta quinta-feira na Fortes Vilaça. Ao mesmo tempo, Mauro Piva abre também no espaço mezanino da galeria a mostra Cativa-me, com desenhos inspirados no livro O Pequeno Príncipe, o clássico de Saint-Exupéry.A última exposição de Alejandra Icaza, natural de Bilbao, ocorreu em 2002 na mesma galeria. De suas composições pictóricas, como se pode ver nesta atual mostra, destacam-se os traços que Alejandra faz sobre as camadas de tinta (algumas vezes, espessas) formando tramas, desenhos. A maneira como os riscos são feitos remete ao processo da gravura - é como se ela tirasse sulcos do material sobre a tela. "Fica tudo misturado, eu desenho ao mesmo tempo que pinto", diz. Esses desenhos são os elementos que representam as figuras, um mundo real e delicado em meio aos círculos coloridos que dão peso ao conjunto. Mas como diz Alejandra, que também exibe colagens, ela já está adentrando uma fase "mais minimalista", mais figurativa.Já Mauro Piva elegeu o Pequeno Príncipe, um "personagem isolado", para criar uma série de desenhos poéticos. Artista que já vem trabalhando há tempos em cima de personagens neutros - eles usam calça jeans, camiseta e não têm rostos -, agora Piva transpõe para o seu repertório as situações vividas pelo príncipe na história. Mas vale frisar que não se trata de esses trabalhos serem mera ilustração do livro - lá está o homem com uma coroa; a rosa que o príncipe tanto ama; a raposa e o deserto. As obras em conjunto se transformam numa "narrativa aberta". Alejandra Icaza e Mauro Piva. Galeria Fortes Vilaça. Rua Fradique Coutinho, 1.500, 3032-7066. 3.ª a 6.ª, 10 h às 19 h (sáb. até 17 h). Até 1.º/7. Abertura hoje, às 20 horas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.