Aleijadinho ganha museu de R$ 8 milhões em Minas

O ministro da Cultura, Gilberto Gil, lança na terça-feira, em Congonhas (MG), a pedra fundamental de um novo museu federal, o primeiro de sua gestão. O Museu Aleijadinho será instalado no terreno em declive ao lado do Santuário de Bom Jesus de Matosinhos, que abriga o conjunto dos 12 profetas de Aleijadinho. O projeto é do arquiteto português Álvaro Siza (premiado na Bienal de Veneza, com o projeto do Museu Iberê Camargo, em Porto Alegre), e o projeto curatorial é de Emanuel Araújo.O novo museu custará R$ 8 milhões, segundo informou Marcelo Carvalho Ferraz, coordenador do programa Monumenta. Já foram fechados patrocínios da Açominas e do Banco Real, no valor de R$ 3 milhões, com recursos incentivados pela Lei Rouanet. O Museu de Congonhas terá um Centro de Estudos do Barroco e da Pedra, um Museu do Ex-Voto e um Centro de Arte Contemporânea. Álvaro Siza se disse "honrado" com sua escolha para desenhar o museu.A grande polêmica agora é se a instituição também abrigará as esculturas dos profetas, que foram feitas pelo mestre do barroco em pedra-sabão e estão sofrendo acelerada deterioração. A remoção das imagens enfrenta resistência, mas o governo quer retirá-las da praça e colocar réplicas no seu lugar, como foi feito com o Davi, de Michelangelo, na Itália. "A decisão final será técnica", disse Ferraz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.