Álbuns e turnês inéditas de dois ídolos nacionais

Álbuns e turnês inéditas de dois ídolos nacionais

Carlinhos Brown apareceu recentemente na lista do Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) como um dos compositores que mais recebem direito autoral. Sua música bomba nos carnavais e micaretas nas vozes de cantoras como Daniela Mercury e blocos como Timbalada, mas a carreira individual estava mais voltada para o exterior. Brown está em via de reconquistar o público brasileiro e uma boa mostra foi sua participação no festival About Us, em 2009.

, O Estado de S.Paulo

01 de abril de 2010 | 00h00

Ele acaba de lançar um CD de rock, que marca o reencontro com sua primeira banda, Mar Revolto. O álbum inédito que prepara com patrocínio da Natura será de canções. E ele tem ainda um outro projeto em andamento, voltado para a eletrônica, "só com música de autoestima", aproveitando o momento da boa repercussão da arte brasileira no exterior e com vistas para a Copa do Mundo de 2014. "Vai ser uma joia isso."

"O trabalho que vou lançar este ano com patrocínio da Natura será dentro do que mais gosto, que é música contemporânea. Quero trazer isso da minha forma. Sou percussionista, então as pessoas já sabem e esperam isso, mas vou fazer um disco mais voltado para a canção e mostrar o que a percussão tem de melódica, de possibilidades harmônicas, de poesia. Por isso, vou fazer um disco mais autoral", diz Brown. "Vai ser teatral, sim, mas muito musical." Por enquanto, não está prevista nenhuma nova parceria com os parceiros de Tribalistas Marisa Monte e Arnaldo Antunes.

Quanto ao Mar Revolto, "uma banda dos anos 80 que ninguém viu", Brown diz que o primeiro pontapé para o reconhecimento no Brasil virá da Argentina, onde eles já têm show de lançamento agendado. "Eles estão na frente", diz. Uma das canções, Marina dos Mares (que já teve outras gravações), chegou a tocar nas rádios em Salvador. Outra faixa de destaque é É, de Gilberto Gil, que foi lançada por Sandra de Sá nos anos 90. Segundo Brown, Gil tinha feito para o Mar Revolto, mas ficou guardada sem registro durante muito tempo. Quanto à cena roqueira de Salvador, ele recomenda que se vá aos bares do Rio Vermelho, onde há várias bandas em plena atividade.

Vanessa da Mata. A cantora diz que seu novo trabalho será só de canções inéditas e novas. "Talvez tenha uma antiga, mas ainda não procurei no meu bauzinho", diz Vanessa. Em Sim ela contou com o esquema de uma major, a Sony Music, que possibilitou ir à Jamaica trabalhar com Sly & Robbie, que também vieram participar de seu DVD em Paraty. Nesse sentido, ela diz que não há nada em vista para o novo álbum. "A parceria com Ben Harper aconteceu de maneira espontânea. Se isso acontecer de novo, vai ser assim." Ela começa a gravação em 40 dias e está negociando com a gravadora a renovação do contrato. / L.L.G.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.