Ah, se viesse antes de Sgt Peppers...

Em 1966, Brian Wilson trabalhou durante seis meses em um single usando uma técnica de gravação modular até então inédita, que consistia em registrar vários trechos e depois montar uma música só no formato que se quisesse. O resultado foi Good Vibrations que, ao ser lançada, rapidamente virou nº1 nas paradas e fez com que Wilson vislumbrasse um álbum inteiro neste formato. Nascia Smile.

Deni Martins, O Estado de S.Paulo

10 de setembro de 2011 | 00h00

Smile é o famoso álbum inacabado dos Beach Boys. Muito mais um projeto de Brian Wilson e Van Dyke Parks, letrista convidado por ele para o disco, do que um LP do grupo, Smile finalmente ganha luz. Pena que, ao sair com 45 anos de atraso, ele possa parecer menos revolucionário.

Se você conseguir imaginar-se em 1967 e entender que ele estava programado para ser lançado antes de Sgt. Pepper''s Lonely Hearts Club Band, dos Beatles, ótimo. Entenderá que mudaria o curso musical naquele ano. Mas se usar os olhos de 2011, há uma grande chance de não captar a proposta de Brian Wilson. Smile não é um disco fácil de digerir. Composto a partir da famosa "caixa de areia" da casa de Brian, é cheio de fragmentos, excelentes vocalizações, instrumentação perfeita, climas altos e baixos, drogas e perfeccionismo, mas psicodélico demais a ponto de não funcionar como deveria em 2011.

Claro que fará a alegria dos fãs dos Beach Boys e sim, receberá elogios em críticas e debates entre conhecedores de música, mas, convenhamos, nem era preciso lançar Smile para que o mundo reconhecesse a genialidade de Brian Wilson. E mais: Smile não é melhor do que Pet Sounds, a grande obra que a banda lançou em 1966. O que este lançamento mais desperta em termos de curiosidade é a pergunta que cala: será que Sgt. Pepper"s Lonely Hearts Club Band dos Beatles teria o mesmo impacto se Smile fosse finalizado e lançado antes dele? Será que a música seguiria o mesmo curso?

Smile teve diversos motivos para ser abandonado perto de seu término. Enquanto o resto dos Beach Boys (Carl e Denis Wilson, Mike Love, Al Jardine e Bruce Johnston) saiu em turnê, Brian trabalhou duro para gravar as partes. Porém, quando o resto da banda retornou para gravar as vozes, se deparou com um resultado que estranhou de imediato. A maior desavença foi com Mike Love, que além de criticar as letras de Van Dyke Parks, disse que aquilo não se parecia nada com a surf music com que os fãs estavam acostumados. E segundo o próprio Brian Wilson, essa discussão com Mike Love foi o maior motivo pelo abandono do projeto. Outros fatos também são curiosos.

Brian Wilson vinha utilizando cada vez mais drogas pesadas e isso fez com que surgissem sérios problemas de depressão e sua consequente paranoia. Tudo potencializado pela pressão de familiares, da banda e da gravadora para terminar o projeto.

E foi o perfeccionismo de Wilson que fez com que Smile se arrastasse por mais de um ano. Ele nunca achava que as gravações estavam boas o bastante para serem finalizadas. A disputa contratual com a Capitol Records só dificultou as coisas. Os Beach Boys, à época, queriam rescindir o contrato e abrir seu próprio selo, o Brother Records.

Dirigindo seu carro, Brian Wilson ouviu no rádio pela primeira vez o novo single dos Beatles, Strawberry Fields Forever, e disse para o passageiro ao lado: "Eles chegaram primeiro." O resultado de Sgt Pepper"s o afetou profundamente.

Finalmente, vendo o distanciamento de Brian Wilson dos outros integrantes do Beach Boys, Van Dyke Parks desistiu de Smile e saiu do projeto. Esta história triste acaba com o anúncio para a imprensa, em 1967: os Beach Boys não realizariam o disco. O tempo, agora, faz justiça à história.

SMILE SESSIONS. Gravações serão lançadas em vários formatos, como um CD duplo até uma caixa com 5 CDs, 2 LPs, livro e arte especial. De US$ 23 até US$ 170

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.