Água da Fontana di Trevi em Roma é tingida de vermelho

Vândalo joga sacola com líquido desconhecido na fonte, em protesto contra o 2.º festival de cinema

Efe,

19 Outubro 2007 | 18h38

A Fontana di Trevi, a maior fonte de Roma, amanheceu nesta sexta, 19, jorrando águas tingidas de vermelho intenso, assustando centenas de turistas no local, como um ato de protesto contra a realização do segundo festival de cinema da capital italiana.   Segundo testemunhas, uma pessoa se aproximou da fonte e jogou uma sacola com um líquido vermelho, que se espalhou imediatamente por toda a água, dando uma cor viva a um dos monumentos mais visitados de Roma, pois a água escoa em circuito fechado.   Os policiais que vigiam a fonte continuamente não conseguiram prender o autor do protesto.   O ato de vandalismo foi assumido pelo desconhecido grupo "FTM Azione Futurista 2007". O grupo deixou uma caixa com panfletos atacando a "Festa Internazionale di Roma", a mostra de cinema da cidade.   "Vocês sobre o tapete vermelho, nós em uma cidade inteira de cor vermelho vivo. Começa assim, para nós futuristas, um novo milênio, uma nova adesão às evoluções técnicas e aos novos meios de expressão, interpretando uma renovação total", dizem as 30 linhas de cada panfleto.   A Fontana di Trevi, um monumento barroco projetado e construído por NicolaSalvi e finalizado por Giuseppe Panini, foi inaugurada em 1762 pelo Papa Clemente XIII.   Foi o cenário que serviu ao cineasta italiano Federico Fellini para imortalizar o banho da atriz sueca Anita Ekberg no filme La Dolce Vita, sob o olhar atento de Marcello Mastroianni.   A tinta pode pôr em perigo o conjunto de mármore. Por enquanto, as autoridades pararam o circuito de água em uma tentativa de evitar que o movimento e as pequenas cascatas que há na fonte possam danificar as esculturas, e à espera de analisar o corante usado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.