Adiada eleição da Academia Brasileira de Letras

A morte do acadêmico Josué Montello, ontem à noite, adiou a eleição para cadeira nº 28, que aconteceria hoje na Academia Brasileira de Letras. Montello morreu de insuficiência cardíaca e pneumonia, depois de passar um ano e meio internado. Na próxima terça-feira, 21 de março, pela manhã, será realizada sua missa de sétimo dia no Mosteiro de São Bento e, à tarde, excepcionalmente numa terça-feira, haverá a sessão da saudade, quando o presidente da casa, Marco Vilaça, vai declarar aberta a vaga. A eleição de hoje acontecerá na quinta-feira que vem. Há três candidatos à vaga que era do ex-ministro Oscar Dias Corrêa, o jurista Célio Borja, o professor e crítico literário Domício Proença Filho e o Oliveiros Litrento, mas os dois primeiros dividem o favoritismo. Na semana passada, o cineasta Nelson Pereira dos Santos foi eleito para a cadeira nº 7, que até setembro era ocupada pelo embaixador Sérgio Corrêa da Costa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.