Adaptações de Clarice e Leon Tolstoi

Jurassic Park - Parque dos

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

18 de agosto de 2012 | 03h10

Dinossauros

15 H NA RECORD

(Jurassic Park). EUA, 1993. Direção

de Steven Spielberg, com Sam Neill, Laura Dern, Jeff Goldblum, Samuel

L. Jackson.

O primeiro filme da série oferece um tobogã de emoções na história de cientistas que visitam parque em que dinossauros foram recriados a partir de DNA da espécie. O parque é criação de um milionário excêntrico, que leva os netos para visitá-lo, mas os dinos escapam ao controle, começam a destruir e a salvação depende de um herói (Sam Neill). Não um grande Spielberg, mas um espetáculo que agradou ao público e teve duas sequências. Reprise, colorido, 127 min.

Braddock 3 - O Resgate

22 H NA REDE BRASIL

(Braddock: Missing in Action III). EUA, 1988. Direção de Aaron Norris, com Chuck Norris, Aki Aleong.

No terceiro filme da série, Chuck Norris não apenas retorna à pele do guerreiro Braddock, que segue a trilha de Rambo, ao vencer na ficção a guerra (do Vietnã) que os Estados Unidos haviam perdido na realidade, como encarna um pai que volta ao Sudeste Asiático, agora em busca do filho. Só para quem gosta muito do cara do coice de mula - um golpe que, na verdade, equivale a uma patada. Reprise, colorido, 101 min.

Diário de Um Novo Mundo

22H30 NA TV BRASIL

Brasil, 2005. Direção de Paulo Nascimento, com Edson Celulari, Rogerio Samora, Nicola Siri, Marcos Paulo, Daniela Escobar, Zé Vitor Castiel, Jean Pierre Noher, Naiara Harry.

O gaúcho Luiz Antônio de Assis Brasil é um grande escritor que segue a tradição de Érico Veríssimo na trilogia O Tempo e o Vento e narra epopeias intimistas ligadas ao processo de formação do Rio Grande do Sul. Mas ele não dá sorte. As adaptações, embora bem produzidas, são bem ruinzinhas - Concerto Campestre e A Paixão de Jacobina (que se baseia em Videiras de Cristal). Esta reconstitui a trajetória de um médico, no tempo da colônia. A travessia do Atlântico, a chegada ao Brasil, a descoberta do amor (por uma mulher casada). Confira - afinal, o filme venceu o prêmio do público e ganhou o Kikito de melhor roteiro em Gramado. Reprise, colorido, 94 min.

A Hora da Estrela

23H15 NA CULTURA

Brasil, 1985. Direção de Suzana

Amaral, com Marcélia Cartaxo, José Dumont, Fernanda Montenegro.

O longa de estreia de Suzana Amaral virou um caso muito sério quando Marcélia Cartaxo venceu o prêmio de melhor atriz no Festival de Berlim - e Fernanda Montenegro, que faz um papel, repetiria o troféu com Central do Brasil, de Walter Salles, uma década mais tarde (mais exatamente, em 1998). Radical no seu intimismo, e baseado no livro de Clarice Lispector, o filme conta a história de Macabéa, nordestina solitária, que leva uma vida sem graça na cidade grande. Uma cartomante lhe anuncia uma mudança e... Veja para saber o desfecho. Reprise, colorido, 95 min.

Inimigo Íntimo

23H15 NO SBT

(The Devil's Own). EUA, 1997. Direção de Alan J Pakula, com Harrison Ford, Brad Pitt, Treat Williams.

Policial de origem irlandesa hospeda em sua casa, nos Estados Unidos, jovem compatriota, sem saber que ele é um terrorista do IRA, o Exército Republicano Irlandês - e que o cara está em missão. O carisma da dupla de astros - Harrison Ford e Brad Pitt - deve tornar o filme atraente para o público, mas não é um grande Pakula, embora tenha o tema preferido do diretor: a quebra de confiança nas relações interpessoais (e políticas). Reprise, colorido, 107 min.

A Árvore dos Enforcados

1H50 NA REDE BRASIL

(The Hanging Tree). EUA, 1959.

Direção de Delmer Daves, com Gary Cooper, Maria Schell, Karl Malden, George C. Scott.

Gary Cooper, num de seus últimos papéis - o penúltimo -, faz médico que salva jovem, mas ela fica cega e ambos enfrentam a violência de uma cidadezinha de mineiros no Velho Oeste. O western mais sombrio do bom Daves, com trilha sensacional (e a balada título, que marcou época, The Hanging Tree). Reprise, colorido, 109 min.

Nunca Mais Cochabamba

2H45 NA TV BRASIL

Bolívia, 2007. Direção de Roberto Alem.

Média-metragem que documenta os violentos embates ocorridos na Bolívia em 2007, em especial a situação de Cochabamba, quando forças políticas contrárias e apoiadores do presidente Ivo Morales se enfrentaram em combates sangrentos que produziram mortos e feridos. Reprise, colorido, 52 min.

TV Paga

Guerra e Paz

16H15 NO TELECINE CULT

(War and Peace). EUA, 1956. Direção de King Vidor, com Audrey Hepburn, Henry Fonda, Mel Ferrer, Vittorio

Gassman, Anita Ekberg, Herbert Lom.

Dois grandes produtores europeus - Carlo Ponti e Dino De Laurentiis - se uniram para financiar a monumental adaptação que o rei Vidor fez da obra-prima de Tolstoi. O cineasta foi acusado de edulcorar o livro, mas a essência da obra está retratada - o embate de paixões durante a invasão da Rússia por Napoleão. Na cena decisiva, Pedro (Henry Fonda) atravessa a guerra como Fabrizio em outro clássico literário, A Cartuxa de Parma, de Stendhal. Magnífico. Reprise, colorido, 208 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.