Acusado de agredir Leona Lewis não tem condição de ir a tribunal

Um homem acusado de atacar a popstar britânica Leona Lewis quando ela autografava livros em Londres este mês não tem condições de saúde de comparecer a um tribunal, informou a mídia britânica na segunda-feira.

REUTERS

26 de outubro de 2009 | 13h20

Peter Kowalczyk, 29 anos, foi acusado de bater na cantora que foi vencedora do programa "X Factor" em 2006, e uma audiência na Corte de Magistrados de Londres ouviu que ele foi incluído nos dispositivos da Lei de Saúde Mental e está sendo avaliado por psiquiatras.

Após uma audiência breve, o julgamento do caso foi adiado para 23 de novembro. Kowalczyk, que não compareceu ao tribunal, permanece internado em segurança no Hospital Lambeth, na zona sul de Londres, segundo relatos.

Leona Lewis, cujo álbum de estreia, "Spirit", vendeu mais de 6,5 milhões de cópias em todo o mundo, ficou abalada com o incidente, mas não precisou ser levada ao hospital.

(Reportagem de Mike Collet-White)

Tudo o que sabemos sobre:
GENTELEONALEWISAGRESSOR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.