Acusada de agressão, Amy Winehouse é impedida de cantar nos EUA

A cantora britânica Amy Winehouse não conseguirá receber um visto de trabalho para os Estados Unidos a tempo de apresentar-se num importante festival de música, porque na semana passada recebeu a acusação judicial de agressão, disse seu porta-voz na segunda-feira. Winehouse, 25 anos, tinha apresentação marcada para o Festival Coachella, na Califórnia, onde também são aguardados artistas como Paul McCartney e The Killers. De acordo com o site do festival, ela estava cantaria em 18 de abril. A cantora soul, que em 2008 recebeu cinco Grammy e cujo segundo álbum, "Back to Black", foi aclamado pela crítica, sofreu acusação de agressão comum. A acusação diz respeito a um incidente que se seguiu a um baile em Berkeley Square, em Londres, no ano passado. Nos últimos dois anos, sua vida privada, incluindo a batalha contra a dependência de drogas, vem cada vez mais lançando sombra sobre seu sucesso como cantora. Na cerimônia de entrega dos Grammy 2008, em Los Angeles, Winehouse não pôde comparecer e teve que apresentar-se ao vivo via satélite desde a Grã-Bretanha, porque ela estava internada numa clínica de reabilitação na época e também teve dificuldade em conseguir um visto para trabalhar nos EUA. A audiência no processo por agressão deverá acontecer em 17 de março na Corte de Magistrados de Westminster.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.