Acervo revela o Pedro Nava colecionador

O reumatologista e escritor Pedro Nava contava que, ainda criança, se angustiou quando viu um parente jogando fora velhos papéis, retratos de família, roupas, fardas e a espada do pai visconde. "Aquela liquidação apertou meu coração", lembrava. Graças à obstinação de Nava por objetos de todo tipo, a Fundação Casa de Rui Barbosa reuniu um precioso acervo e acaba de editar o inventário do memorialista, que se suicidou em maio de 1984.O catálogo relaciona 6.110 documentos, entre manuscritos datilografados, fotos, desenhos, notas, cartões. E receitas médicas, muitas receitas, as mais preciosas delas reunidas em um livrinho de quase 200 anos. De origem desconhecida, caiu nas mãos de Nava, que, naturalmente, guardou a raridade, agora restaurada."Esse caderninho é para escrever nele algumas curiosidades para curar feridas e algumas moléstias dos corpos humanos com pouca despesa e com o favor de Deus", anuncia o primeiro parágrafo, precedido pela inscrição do ano de 1809 (ou 1802).Segredos seculares - Com dificuldade para decifrar a letra e a língua portuguesa daquele tempo, vão-se descobrindo alguns desses segredos seculares. Feridas nas pernas? "É botar uma pouca de bosta de boi e, se for preto, ainda melhor e não deve ser de vaca", ensina o autor misterioso.Há ainda a sopa de cavalo cansado, a poção com peles de cobras e um remédio "para quem tem dor de peito, de muito e de pouco tempo": gengibre moído, três gemas e outros ingredientes, estes ilegíveis.Além das fórmulas mágicas, Pedro Nava guardou dezenas de receitas que vinham desde 1900, prescritas pelo famoso médico Miguel Couto para a mãe do escritor, dona Diva Jaguaribe Nava, incluindo dietas e pedidos de exame feitos ao próprio Nava até novembro de 1983, seis meses antes de sua morte.Água destilada, magnésia, valerianato de cafeína, extrato de alcaçuz, sulfato, fosfato e bicarbonato de sódio são alguns dos remédios que eram prescritos pelos profissionais do início do século passado.

Agencia Estado,

28 de setembro de 2001 | 17h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.