Acervo da Choque, um novo espaço para a arte urbana

Artistas com traço pop e influenciado pelo grafite querem alcançar colecionadores e curadores

Marina Vaz, de O Estado de S. Paulo,

25 de setembro de 2009 | 07h49

 

Novo endereço da galeria é para colecionadores, mas terá abertura pública

 

SÃO PAULO - A Choque Cultural está mudando. Mas os fãs do pop podem ficar tranquilos: arte urbana e grafite não deixarão de ocupar os espaços da galeria. No espaço de Pinheiros (R. João Moura, 997), aberto desde 2003, tudo permanece igual, com exposições e intervenções de artistas nas paredes do sobrado.

 

O que muda é a abertura de um segundo endereço, o Acervo da Choque, na Vila Madalena, voltado não ao público geral, mas a colecionadores e curadores. O espaço segue a linha tradicional de galeria, com ambiente claro e paredes brancas, permitindo uma melhor análise das obras.

 

"Nos últimos anos, a maior parte de nossos artistas amadureceu e se tornou conhecida", explica Baixo Ribeiro, sócio da galeria. "Precisávamos de um lugar que fizesse a interface entre os artistas e os curadores."

 

Para apresentar ao público a ‘nova Choque’, Titi Freak expõe 20 obras inéditas na mostra AmorInsistente. O artista, um dos mais antigos da galeria, começou sua carreira como cartunista de histórias da Turma da Mônica, passou pelo grafite e hoje busca em suas obras um diálogo entre as duas técnicas. Sempre "focado nas emoções", como ele mesmo define.

 

Onde: Acervo da Choque. R. Medeiros de Albuquerque, 250, V. Madalena, 3061- 4051.

Quando: sáb., 13h/ 18h. Abre sáb. (26). Até 17/10.

Quanto: Grátis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.