Academia Brasileira de Letras entrega seu prêmio

O poeta Ferreira Gullar emocionou o público hoje, ao receber o prêmio Machado de Assis, na Academia Brasileira de Letras. A cerimônia foi no Petit Trianon, com a presença de metade dos imortais e muitos amigos dos cinco homenageados. Depois de agradecer a lembrança de seu nome, ele disse que faria uma denúncia. "Já que estamos em época de denúncias, aproveito a ocasião para denunciar todos os literatos e artistas em geral, inclusive a mim, como mentirosos, ou seja, inventores de histórias que nunca aconteceram, imagens nunca existentes, de personagens que jamais habitaram este planeta e de exagerar emoções que experimentam", disse ele.Gullar foi escolhido pelo conjunto de sua obra, com mais de 40 títulos entre poesia, ficção, ensaio e crítica de arte. Os outros premiados foram Mário Chamie, pelo livro A Palavra Inscrita (na categoria ensaio, crítica e história literária); Neide Archanjo, com o livro Todas as Horas e Antes, e Vera Lúcia de Oliveira, com A Chuva dos Ruídos (poetas), Rogério Andrade Barbosa, com Contos Africanos para Crianças Brasileiras (literatura infantil), Ivo Barroso pela tradução do Teatro Completo de T.S. Elliot, e Eduardo Brandão, por traduzir O Espírito Medieval de Etiene Gilson, e Cristóvão Tezza, com o romance O Fotógrafo (ficção). De todos eles, só Ivo Barroso não compareceu à ABL.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.