Acaba contrato de Boni com a Globo

Terminou no último domingo o contrato de José Bonifácio de Oliveira Sobrinho com a Globo. A partir de hoje, o ex-Vice-Presidente de Operações da emissora deixa de ser seu consultor, mas ainda lhe deve exclusividade. Pelos próximos dois anos, Boni ainda não poderá trabalhar em nenhuma outra televisão, como reza uma cláusula do antigo contrato. Exatamente por isso, as negociações para a renovação de seu passe continuam, sem muita pressa. Até o final da semana passada, Boni analisava as propostas feitas pela Globo por intermédio da diretora-geral, Marluce Dias da Silva. A direção da emissora gostaria que ele desenvolvesse projetos na área de TV digital. Mais precisamente, que ele avalie meios de usar a interatividade que a nova tecnologia permite, abrindo uma série de possibilidades, inclusive no campo comercial. Para seduzir Boni, a Globo acenou com a alternativa de ele vir a fazer isso utilizando seu próprio canal de TV. Boni ganhou a concessão de uma emissora em Taubaté, no interior de São Paulo. O Congresso Nacional ainda precisa ratificar essa decisão, o que deve ocorrer em, no máximo, três meses. Assim que for endossada a concessão, ele terá seis meses para colocar a emissora no ar. A Globo está disposta a ajudar Boni a realizar essa tarefa. Além disso, a nova TV fará parte, imediatamente, da rede de afiliadas da Globo. Segundo Boni, no contrato que pode vir a assinar, a direção da casa propôs a inclusão de outra cláusula de exclusividade que o impede de trabalhar em TV aberta ou fechada, pública ou privada. Até a semana passada, ele continuava despachando de sua casa, na Barra da Tijuca, Rio, após ter se submetido a uma cirugia corretiva de pálpebras. As apostas, no campo das especulações, são de que o contrato será renovado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.