Absolut Vodka inicia coleção latino-americana

Para inaugurar sua série de peçaslatino-americanas, a Absolut Vodka convidou o artista uruguaioCarlos Páez Vilaró para criar uma obra que integrasse a coleçãode arte da marca sueca de bebida. O quadro, intitulado ElEspírito de la Botella (O Espírito da Garrafa), foiapresentado na própria casa do artista - Casapueblo - localizadaem Punta Ballena, a 15 quilômetros de Punta del Este. A coleção de arte da Absolut foi iniciada em 1985, comum quadro do pop-artist americano Andy Warhol. Sempre tendo comoponto de partida a própria garrafa de vodca, o acervo de obrasde arte conta hoje com 400 peças entre fotografias paracampanhas publicitárias, quadros e colagens. Agora, como tema deuma nova série, a Absolut vai encomendar, durante 18 meses,criações de artistas latino-americanos. A primeira delas, a de Vilaró, é composta por duascabeças de perfil que saem da própria garrafa da Absolut.Segundo a análise do curador da National Gallery of Art deWashington, Douglas Lewis, os elementos remetem à idéia de"companhia em um bar ou em uma mesa", ou ainda, as figuras dacolagem "são cabeças que dividem a experiência e o líquido".Mas como contou o bem-humorado Vilaró, de 78 anos, a obra partiude outra história. Quando o artista soube que fora escolhido porum comitê secreto, ficou "mais feliz por causa do Uruguai" doque por ele mesmo. Para tanto, sua premissa era explorar a figura dochimarrão ou "mate", muito típico da região dos Pampas. Masessa idéia passou logo que ele viu o design da Absolut. Queriatrabalhar diretamente por meio dela. Espíritos - Comprou uma garrafa e seus amigos deCasapueblo a beberam inteira. Perguntou-se: "Como sumiu?" epensou nos espíritos que saíam de uma garrafa. Para explorarmais o reflexo do vidro, o artista colocou água na garrafa,objeto de sua colagem. Além de apresentar e explicar a obra, o curador DouglasLewis fez uma análise sobre todo o desenvolvimento da carreirade Vilaró, comparando suas obras com a de importantes nomes daarte moderna como Kandinsky e Matisse. Mas Vilaró não se resumea isso. Nascido em Montevidéu em 1923, o artista já participoude expedições pela África, fez um documentário que recebeu onome Pulsação e que tinha como tema os ritmos e o povo africano.O responsável pela música foi Astor Piazzolla e o filme foiescolhido para concorrer no Festival de Cannes. Era amigo dePablo Picasso - que lhe deu uma coleção de cerâmicas, deVinícius de Moraes e Jorge Amado. Mas sua maior criação talveztenha sido a construção de Casapueblo, obra que demorou 30 anospara ser concluída e que foi feita, inteiramente, com as mãos.Casapueblo é um hotel, mas também a casa, o ateliê, o museu deVilaró.A repórter viajou a convite da Absolut

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.