ABL: Marco Maciel e Fernando Morais disputam vaga

A última eleição da Academia Brasileira de Letras em 2003, que será realizada hoje, para a cadeira 39, que foi do jornalista Roberto Marinho, reúne 13 candidatos, um recorde de muitos anos, mas 2 deles dispararam na frente: o senador Marco Maciel (PFL-PE), que nunca perdeu uma eleição desde seus tempos de estudante de Direito no Recife, e o escritor e jornalista Fernando Morais, que traz no currículo best-sellers, como Olga e Chatô, o Rei do Brasil. Este começou com poucos votos mas, segundo avaliações dos próprios acadêmicos, pode surpreender.Ontem, enquanto Maciel matreiramente se recolhia, um assessor seu, que não se identificou, explicava: "Como bom político, ele só fala de eleição após a urna ser aberta e os votos contados." De qualquer forma, o senador, que tem quatro livros publicados entre 1987 e 1982 (Vocação e Compromisso, Idéias Liberais e Realidade, Liberalismo e Justiça Social e Educação e Liberalismo), está tão confiante que vai esperar o resultado no Hotel Glória, um dos mais tradicionais da cidades, com um coquetel já preparado, na companhia da mulher, Anna Maria. Morais escolheu outro hotel tradicional, o Copacabana Palace, para esperar o resultado com amigos que vivem no Rio: o escritor Ziraldo, o jornalista Zuenir Ventura, o arquiteto Oscar Niemeyer, e o assessor especial da Presidência da República, Frei Betto, que foi seu cabo eleitoral.Os outros candidatos, com poucas chances de receber voto, representam setores diferentes. A deputada estadual Heloneida Studart (PT) coloca-se junto à esquerda brasileira (assim como Maciel fica à direita e Morais, no centro, mas não necessariamente entre os dois) e teve ameaças de votos, mas a polarização a deixou na pista. Os demais, nem isso, e há candidatos de carteirinha, como a escritora Laurita Mourão, o romancista Waldemar Cláudio dos Santos, o poeta Paulo Hirando, o babalorixá João Batista do Espírito Santo, além de Gilmar Cardoso, Nelson Valente, Andrea Borba, Fernal Avelino, Elma Queiroz Bello e Blasco Peres Rego.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.