ABL entrega seus prêmios literários de 2003

A Academia Brasileira de Letras comemora seus 106 anos nesta quinta-feira entregando seus prêmios de 2003. O maior deles é o Prêmio Machado de Assis, que este ano vai para o escritor Antônio Carlos Vilaça. Também será entregue o Prêmio ABL em várias categorias. A novidade é o prêmio para tradução, categoria contemplada pela primeira vez, que será entregue a Boris Schnaiderman.Na categoria ensaio, crítica ou história literária o vencedor é o jornalista Elio Gaspari, por seus livros A Ditadura Envergonhada e A Ditadura Escancarada. Em poesia, os vencedores foram os poetas Antonio Carlos Secchin, pelo livro Todos os Ventos, e Fabrício Carpinejar, por Bibliografia de uma Árvore. A categoria ficção também teve dois vencedores: Ana Miranda, por Dias & Dias, e Bernardo Ajzenberg, por A Gaiola de Faraday. Ziraldo venceu na categoria literatura infantil com Menina Nina. Este é o primeiro ano que a ABL entrega o prêmio que leva seu nome na categoria tradução. O vencedor é Boris Schnaiderman, pelo conjunto de sua obra. Schaniderman nasceu na Ucrânia e veio para o Brasil ainda criança. Aqui, traduziu autores russos desde 1944 e em 1960 iniciou o curso de língua e literatura russa na Universidade de São Paulo. Além do Machado de Assis e os prêmios ABL, a instituição também entrega hoje o Prêmio Francisco Alves às escritoras Lázara Nanci de Barros Amâncio, pelo livro Cartilhas, Para Que, e Doralice Aparecida Paranzini Gorni, pelo livro Reestruturação do ensino Fundamental no Paraná após a Abertura Democrática do Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.