ABL apresenta mostra sobre José Sarney

A Academia Brasileira de Letras (ABL) homenageia os 70 anos de Sarney com a exposição José Sarney: O Poeta e o Defensor da Liberdade. De caráter itinerante, a exposição foi inaugurada em abril, em São Luiz, no Maranhão, seguiu para Macapá, no Amapá e chegou ao Rio nessa quinta-feira, onde fica até 18 de outubro. São 44 painéis fotográficos, vídeos, livros e galhardetes com poesias, contando a trajetória política e literária do ex-presidente. Sarney se mantém em evidência em suas duas vertentes de atuação: a do o político, como senador da República e a de escritor. Ele lançou este ano Saraminda, romance ambientado no Amapá, Estado pelo qual Sarney, que é maranhense, se elegeu senador na sua última candidatura.O nome da exposição "poeta e defensor da liberdade" foi a alcunha criada por Octavio Paz, prêmio Nobel de Literatura, em alusão ao fato de Sarney ter sido o primeiro presidente brasileiro empossado após longo período de ditadura militar. Mas a curadora da mostra, Stella Kaz, frisa que "não quis entrar no mérito do desempenho dele como presidente". Sarney é o mais antigo congressista. Em 1954, ele foi eleito deputado federal suplente e daí em diante não parou de ocupar cargos públicos até chegar à Presidência da República, com a morte de Tancredo Neves, em 85. Naquele mesmo ano de 1954, Sarney publicou seu primeiro livro,A Canção Inicial. Escreveu 30 livros entre contos, romances , poemas e ensaios. Norte das Águas, de 69, sobre a vida dos pescadores no Norte do País, é um dos mais conhecidos, traduzido em inglês, francês e espanhol, chinês, grego, árabe, alemão, húngaro e russo. Entrou na Academia Brasileira de Letras em 1980 e é também membro da Academia Maranhense de Letras e da Academia Brasiliense.José Sarney: O Poeta e o Defensor da Liberdade - Galeria do Centro Cultura da Academia Brasileira de Letras: Av. Presidente Wilson, 203 , Castelo. Tel.: 524-8230.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.