Aberta a Primavera de Livros no CCSP

Começa hoje no Centro Cultural São Paulo a Primavera de Livros, onde o público amante de livros terá a oportunidade de conversar diretamente com autores e editores de sua preferência. A feira vai reunir, até domingo, o catálogo nem sempre visível nas livrarias de 70 editoras, com descontos variando entre 20% e 40%. ?Os leitores terão a oportunidade única de manter um contato com todos os envolvidos na feitura de um livro, desde o escritor até o tradutor, capista, diagramador e outros?, conta Angel Bojadsen, editor da Estação Liberdade e presidente da Liga Brasileira de Editores (Libre), que organiza o evento. A Libre congrega hoje 66 membros, todos representantes de médias e pequenas editoras que estavam descontentes com alguns detalhes que marcam as tradicionais bienais do livro. ?Percebemos que o livro já não era o principal produto nessas feiras, perdendo espaço para apresentações circenses e shows diversos?, comenta Bojadsen. ?Também o ambiente sofria com muito barulho, o que é estressante.? A Primavera dos Livros, portanto, que está na segunda edição (no próximo mês, o Rio realiza sua terceira), oferece um ambiente tranqüilo e concentrado na divulgação da literatura. Montados próximos da biblioteca do Centro Cultural, os estandes têm todos o mesmo tamanho (diferente do que acontece nas bienais, nas quais quem paga mais ocupa um espaço maior), o necessário para que cada uma acomode seu catálogo. ?Somos editoras diferenciadas, pois lançamos, além dos livros comerciais, textos mais aprofundados e dirigidos a um público específico?, explica Bojadsen. Outra preocupação dos organizadores é dedicar uma programação especial às crianças que, além de espaço para leitura, terão uma série de atividades a partir deste sábado, como oficinas com autores e ilustradores, que vão passar conceitos básicos desde o desenho até a poesia (confira os horários no quadro). ?A intenção é óbvia: criar o hábito da leitura desde o início da alfabetização.? Os eventos, assim como o acesso à feira, têm entrada gratuita, graças ao patrocínio da Prefeitura de São Paulo, além das secretarias municipais da Cultura e de Educação. Há, ainda, o apoio do Sebrae. Durante a Primavera, as editoras vão aproveitar para lançar novos títulos ? a Nova Alexandria, por exemplo, prossegue sua coleção Jovens sem Fronteiras apresentando agora O Jovem Noel Rosa (o primeiro número da série narrou a juventude de John Lennon). Escrito pelo músico Guca Domenico, um dos fundadores do grupo Língua de Trapo, o livro conta, com uma prosa descontraída, a adolescência do compositor. Outra biografia que chega é José Saramago: O Amor Impossível, uma longa entrevista do escritor português com Juan Arias, lançada pela mesma Nova Alexandria. Entre as obras de ficção, os lançamentos são Pah!, contos de Artur de Carvalho (Via Lettera), e No Começo de Tudo, romance do premiado escritor Domingos Pellegrini, que recupera o ambiente e as condições de vida do homem pré-histórico. ?A Primavera atrai um público diferenciado ao Centro Cultural?, conta Carlos Augusto Calil, diretor do espaço. Calil acredita que o CCSP continuará como sede da Primavera dos Livros, mesmo com a intenção de seus organizadores em crescer no próximo ano. Segudo Calil, ?hoje, é possível um aumento de até 30% sem prejuízo ao local?.Leia mais no Guia do Caderno 2, no EstadoServiço - Centro Cultural São Paulo. Rua Vergueiro, 1.000, Paraíso, tel.: 3277-3611. site: www.primaveradoslivros.com.br. De hoje a domingo, das 10h às 22h. Entrada franca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.