Aberta a 59ª Feira do Livro de Madrid

As trocas permitidas pelas novas tecnologias, as multiplas atividades culturais e o trem "Expresso da Literatura Européia 2000" são algumas das atrações da 59ª Feira do Livro de Madrid, inaugurada hoje, mas que será aberta à visitação só no mês que vem.A maior atração da feira - que conta conta com 182 livrarias e 215 editoras - será a chegada do trem ?literário? Europa 2000, que viajará por vários países levando um grupo de escritores europeus. O trem ficará por três dias em Madrid. Esses escritores participarão de debates abertos com o público.Na abertura da feira, a infanta Cristina e seu esposo, Iñaki Urdangarín; o prefeito de Madrid, José María Alvarez de Manzano; Fernando de Lanzas, percorreram durante uma hora e meia os quase dois quilômetros que ocupam os estandes dos expositores. Para a visita e inauguração, foram promovidos saraus e apresentações musicais. Jesús García Bayón, que dirige este ano pela última vez o evento pelo qual têm sido responsável nos últimos 20 anos, explicou hoje que as listas dos livros mais vendidos voltaram contra sua opinião, por decisão da comissão organizadora. Essa lista, amplamente divulgada na feira, já gerou protestos em ocasiões anteriores, por não dar chances aos escritores mais alternativos. Algumas editorias também insistiram em apontar que a Feira do Livro de Madrid deve apostar no seu caráter cultural, e deixar de ser uma competição de vendas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.