Abadia inglesa proíbe filmagem de "O Código Da Vinci"

A abadia de Westminster, no coração de Londres, adotou uma medida nesta terça-feira para retificar os erros no romance O Código Da Vinci, do escritor americano Dan Brown, com a distribuição de um livreto aos guias turísticos dolocal.O reverendo da abadia, Wesley Carr, também recusou o pedido do produtor encarregado da adaptação cinematográfica do romance para filmar em Westminster. No entanto, a catedral de Lincoln (centro-leste), aceitou que a equipe filmasse ali. No filme atuarão Tom Hanks e Audrey Tautou nos papéis principais. "Não somos contra esta adaptação e a equipe filmará aqui durante três ou quatro dias de agosto", confirmou à AFP o reverendo Alan Nugent, da catedral. O livro, que teve mais de 20 milhões de exemplares vendidos, foi condenado pelo Vaticano e pela Igreja Anglicana. Na respeitada abadia de Westminster, os guias turísticos receberam um livreto que lhes permite responder às perguntas dos turistas que seguem as pistas do livro de Brown, um sucesso em todo o mundo, disse à AFP Jen Stebbing, encarregada de imprensa da abadia. "Este livro se tornou um best-seller internacional e temos que enfrentar da melhor maneira as conseqüências práticas desta popularidade", disse o reverendo Carr, acrescentando: "Nós também temos um papel para restabelecer a verdade e distinguir ficção de realidade". O livreto destaca os erros factuais, como a existência de uma suposta entrada secreta na sala capitular ou a afirmação de que o College Garden é visível da mesma sala. "Logicamente é proibido aos visitantes fazerem uma cópia das gravuras esfregando um lápis sobre uma folha de papel usada como decalque", como propõe o livro, destacou Stebbing.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.