A voz, o violão e o clássico de Djavan

Sem o primeiro lançamento de Djavan haveria sérios desfalques no repertório voz e violão dos botecos nacionais. Por coincidência, o disco, que será relançado pela coleção Discoteca Estadão no próximo domingo, levou o profético título de A Voz, o Violão, a Música de Djavan, quando chegou às lojas em 1976. E duas de suas faixas ecoariam ad infinitum pelas noites brasileiras, acompanhando o pastel e a cerveja de, até agora, três gerações de boêmios.

Roberto Nascimento, O Estado de S.Paulo

23 de janeiro de 2011 | 00h00

Os hits Flor de Lís e Fato Consumado são as insubstituíveis unanimidades. Mas A Voz, o Violão vai além do sucesso comercial destas. É um disco completo, que captura Djavan em sua explosão criativa inicial, antes do megaestrelato, na época em que o alagoano recém-chegado do Nordeste encantou os bambas da música nacional com sua mistura de bossa, samba e embolada. Isso além de ter o auxílio de um time de cobras dos estúdios brasileiros que incluía Luizão Maia no baixo, Hélio Delmiro na guitarra e Altamiro Carrilho na flauta e nos arranjos. A combinação do violão de Djavan com essa excelente banda, que tinha também Edison Machado, do Jongo Trio, na bateria, resultou em grooves de samba e baião, cobertos de verniz jazzístico sem perder a pulsação essencial dos ritmos nacionais.

A história do disco começa nos meados dos anos 70, quando Djavan chegou ao Rio receoso de que sua música fosse complicada demais para ter algum sucesso. Penou, não só com isso, mas também com a discriminação: "Sofri muito preconceito, não exatamente por ser negro, mas por ser nordestino", contou, anos depois em uma entrevista.

Mas não demorou muito para que fosse descoberto pelo produtor João Mello, que chamou Djavan para gravar uma faixa para a trilha da novela Gabriela, em 1975. O sucesso chegou em efeito dominó: Maria Bethânia ouviu uma de suas composições, ficou encantada, gravou. Logo Djavan foi para o estúdio sob o comando do lendário produtor Aloysio de Oliveira e gravou um dos melhores discos dos anos 70. Quiçá o melhor de Djavan.

DJAVAN

A Voz, o Violão, a Música de Djavan

R$ 14,90

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.