A volta do coreto da Pça da República

Uma praça e um coreto ao som de uma banda. A cena, hoje rara até mesmo em cidades do interior, deve voltar a acontecer em breve na maior cidade do Brasil. Da noite paulistana para as tardes de domingo, artistas locais prometem transformar a Praça da República, no centro de São Paulo, em uma grande roda de música e cultura.O antigo coreto da praça será reformado para abrigar as apresentações. As obras de restauração devem começar em outubro e ficam prontas no final do mês seguinte, de acordo com o diretor técnico da divisão de arte, artesanato e antigüidade da prefeitura de São Paulo, Antonio Eugênio Delfino.Enquanto o espaço definitivo não fica pronto, os shows acontecem em caráter experimental, por iniciativa do movimento Cultura de Boteco, em parceria com a prefeitura. A música é mais uma atração da tradicional feira de artes da Praça da República. Criada no final da década de 60, ficou fora da programação da cidade por três anos, mas está de volta e, aos poucos, tenta retomar o antigo brilho.A idéia, segundo o coordenador do projeto, o músico Celsinho da Cuíca, é trazer artistas consagrados para pequenas canjas até que o coreto fique pronto. "Principalmente porque, nesta primeira fase, as apresentações ainda são bancadas com recursos próprios."Neste domingo, a programação inclui o espetáculo ?Tributo Às Raízes?, com a participação do Regional de Chorinho; o repentista mineiro Téo Azevedo, comandando a moda de viola; forró autêntico, com o Trio Malagueta; e samba da velha guarda, com o Coral da 3ª Idade do Clube da Vila Manchester.<b>Serviço: Feira de Artes da Praça da República. Praça da República, s/nº. Domingos, das 9 às 17 horas. As apresentações ocorrem a partir do meio-dia. Grátis.Vinícius Pinheiro

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.