A volta de Otto Maria Carpeaux

A volta de Otto Maria Carpeaux

Maria Fernanda Rodrigues, de O Estado de S.Paulo,

26 Novembro 2011 | 03h09

 

História da Literatura Ocidental, obra fundamental de Otto Maria Carpeaux lançada em nove volumes no fim dos anos 50, chega às prateleiras em nova edição na próxima semana. Fruto de uma parceria da LeYa com a Livraria Cultura, ela sai agora em quatro volumes, projeto gráfico de João Baptista da Costa Aguiar e será vendida exclusivamente nas 12 lojas da rede por R$ 179,90. Atualmente, podiam ser encontrados apenas a edição do Senado Federal (2008), por R$ 200, e exemplares usados na Estante Virtual, com preços variando de R$ 10 a R$ 700 por tomo. O primeiro volume trata do método da historiografia literária antes de ingressar na literatura grega. A partir daí, escolas e autores vão sendo estudados por Carpeaux num painel surpreendente, enciclopédico. A prática de livrarias se unirem a editoras em edições especiais foi uma marca deste ano. Em setembro, a Saraiva inaugurou, com a Nova Fronteira, sua coleção de livros de bolso. Já são 54 títulos - e novas editoras foram incluídas no projeto.

Presente de aniversário

Dilma Rousseff não leu e não deve ler o livro que o jornalista Ricardo Amaral escreveu sobre ela antes da chegada da obra às livrarias em 13 de dezembro, um dia antes da presidente comemorar 64 anos e às vésperas do primeiro aniversário de seu mandato. Não se trata exatamente de uma biografia, explica o autor, que optou por escrever uma obra que combinasse vida pessoal com fatos políticos sem ouvir a protagonista. Ele se baseou nas reportagens que escreveu, nas anotações feitas durante a campanha, em pesquisas e em entrevistas com outras pessoas.

*

O título será A Vida Quer É Coragem - A Trajetória de Dilma Rousseff, numa referência à frase de Guimarães Rosa usada por ela no discurso de posse e será dividido em três partes: infância e juventude; do "Apagão" à candidatura; e a campanha. O livro termina quando Dilma é eleita. "Tem muito da história do Brasil moderno como pano de fundo, desde Vargas, para explicar aos jovens que a política não começou com Lula nem terminou com o mensalão", comenta o autor. Um caderno de fotos acompanhará o lançamento da Sextante.

Mann lê Dom Quixote

Leitores de Thomas Mann (1875-1955) podem esperar para setembro o livro Travessia Marítima com Dom Quixote e Outros Ensaios, com textos escritos pelo alemão a partir da leitura, durante uma viagem de navio para os EUA, do clássico de Cervantes. Sai pela Zahar, que acaba de lançar, do mesmo autor, O Escritor e Sua Missão.

O último prêmio do ano

Oito autores estão prestes a ter um Natal mais gordo. Sai em 5/12, encerrando a temporada 2011 de prêmios literários, o resultado do concurso anual da Fundação Biblioteca Nacional (FBN), que dá ao primeiro colocado das oito categorias o valor de R$ 12 mil. A disputa deve ser mais acirrada entre os autores de livros infantis e juvenis e Galeno Amorim, presidente da FBN, credita isso ao pequeno número de prêmios para esse segmento. Das 621 inscrições, 200 foram para essa categoria.

Para fazer inveja

Ex-independente, Eduardo Sphor vendeu, na raça, 4.600 exemplares de A Batalha do Apocalipse entre 2007 e 2009. Em 2010, passou a ser editado pela Verus e acrescentou 205 mil exemplares a essa conta e um novo livro à estante. Até hoje, Filhos do Éden vendeu 26 mil exemplares. O autor comemora agora a edição de 5 mil exemplares do romance de estreia pela holandesa Luiting Fantasy. Um detalhe: no Brasil, a tiragem média de um livro de autor nacional fica nos 3 mil exemplares.

Bola na areia

No fim dos anos 80, o Santos ia tão mal que a diretoria quis alugar o time da Ponte Preta para disputar um campeonato. Essa e outras histórias curiosas já esquecidas pela torcida estarão em Leões do Mar, de Celso de Campos Jr. e Dario Palhares, que a Realejo lança em abril para as comemorações do centenário do time do Pelé.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.