"A Vida é Cheia de Som e Fúria", agora no Rio

Depois de seduzir São Paulo, Curitiba e Belo Horizonte, chega ao Rio a peça A Vida é Cheia de Som e Fúria, dirigida por Felipe Hirsch e estrelada por sua Sutil Companhia de Teatro. A montagem chega aos cariocas já fartamente premiada: levou o título de melhor espetáculo no Festival de Teatro de Curitiba de 2000 e foi eleita melhor atração do Festival Internacional de Teatro de Belo Horizonte, também este ano. No Rio de Janeiro, as apresentações serão no Teatro Leblon, com estréia amanhã.A Vida é Cheia de Som e Fúria fala ao homem contemporâneo. Através da música, o espetáculo, que é inspirado no romance Alta Fidelidade, de Nick Hornby, aborda problemas de geração. Rob Fleming é um DJ inglês em crise. Perdeu a namorada e por isso vê-se no vazio. Junta os amigos e começa a listar os cinco mais em tudo de sua vida: desde os cinco piores fins de namoro até os cinco melhores singles da década. Para Rob, não há opiniões e sim listas de melhores e piores. Nada mais fiel à juventude pós-hippie, desencontrada nas sucessões de signos vazios da história do pop. Tudo isso numa viagem musical que começa em Bob Dylan, passa por The Clash, Motown, The Smiths e vai terminar em Nirvana.A montagem já tem agenda lotada para este ano e o próximo, contando inclusive com apresentações fora do País. Tem pela frente, além do Rio, o Festival de Porto Alegre. Em 2001, é a vez de cruzar a fronteira e levar uma produção nacional a Buenos Aires, de onde a peça volta novamente para São Paulo, quando então será encenada no Teatro do Sesi, na Avenida Paulista.A Vida é Cheia de Som e Fúria - Teatro do Leblon, sala Fernanda Montenegro. Rua Conde Bernadote 26, Leblon. Tel: 294-0347. De 5ª a sábado às 21h e domingo às 19h. Preços: 5ª, 6ª e domingo R$20,00 e sábado R$25,00.

Agencia Estado,

28 de setembro de 2000 | 16h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.