''A única ambição é que tudo corra bem''

Entrevista com o produtor Perry Farrell, criador do festival Lollapalooza

Jotabê Medeiros, O Estado de S.Paulo

04 Abril 2011 | 00h00

Quem é a loira que não desgruda de Perry Farrell? Uma mistura de Sabrina Sato com Paulina Rubio. É a mulher dele, informam. Perry e Etty Farrell estão sempre juntos. Dão entrevistas juntos, fazem discotecagem juntos. Farrell, enquanto atendia TVs e fãs, achou um tempinho para falar com exclusividade ao Estado - dessa vez, sem Etty, que ficou ocupada com as TVs.

A pergunta clássica: porque não no Brasil?

(Risos) Eu encontrei os promoters aqui no Chile e gostei deles. Talvez eu tivesse feito no Brasil, mas não houve o encontro certo. Mas agora mesmo eu estou em conversas com promotores do Brasil.

Está satisfeito com essa primeira edição de Lollapalooza aqui em Santiago?

Só passaram algumas horas até agora... Eu vi pessoas caminhando pelo parque, felizes, experimentando a sensação de liberdade e relaxamento. Mas só quando acabar, que eu os vir fora daqui, indo para casa, é que poderei sentir se houve sucesso. Nesse momento, o que posso dizer é que a terra está sendo usada em paz, é o meu sentimento.

Por que o Yeah Yeah Yeahs cancelou o show?

Karen O. ficou doente. Ela não tinha condições de fazer nenhum show no momento, e teve de cancelar. Espero que esteja bem agora, que se recupere logo. O festival aqui só tem uma ambição: que tudo corra bem, que todo mundo possa se divertir e voltar bem para casa. E que pinte uma vibração do amor, isso é o mais importante.

Vocês escalaram somente uma banda do Brasil no Lollapalooza, o CSS. Por quê?

Adoro o CSS. O cara da banda (Adriano) e eu tuitamos um pouco hoje. Veja, quando escalamos o festival não procuramos nacionalidades. A coisa vem desse jeito. Às vezes me perguntam: porque tão poucas garotas, porque tão poucos negros? É a música, é o momento. Escalamos o CSS porque estavam disponíveis e porque são entusiastas do festival, por isso.

Quando Obama era candidato, anunciou que iria ao Lollapalooza em Chicago, mas não foi...

Seria no show do Kanye West. Acho que deveria ter ido...

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.