A trupe contra o tédio

A Trupe Chá de Boldo, jovem banda de samba e MPB que nos últimos anos vem conquistando boa leva de seguidores no circuito universitário, faz hoje, na Bleecker Street, o show de lançamento de seu álbum de estreia, Bárbaro. O disco traz canções do violonista e vocalista do grupo, Gustavo Galo, sob influência de Roberto Carlos, Tropicália, Itamar Assumpção e o grupo contemporâneo Cérebro Eletrônico, além de Novos Baianos, grupo que a trupe ecoa tanto na proposta musical quanto na coletividade de seu esforço: são 12 músicos que tocam juntos desde o colégio e decidiram formar uma banda após uma viagem ao Rio.

Roberto Nascimento, O Estado de S.Paulo

07 de maio de 2010 | 00h00

Embora não morem em comuna como o grupo da Bahia - tão pouco vivam em tempos de opressão política -, eles fazem música que se rebela contra o tédio e a apatia, de acordo com manifesto publicado no site da banda. Não está claro a quem pertence esse marasmo, mas a rebeldia dá origem a apresentações com climão de festa de arromba. Para curar a ressaca, dizem eles, Chá de Boldo.

O show de hoje reproduzirá Bárbaro na íntegra e terá participação de Tatá Aeroplano e Leo Cavalcanti, ambos compositores importantes na cena da nova MPB paulistana. O disco foi produzido pelo músico, DJ e pesquisador Alfredo Bello, que faz extenso trabalho de documentação de ritmos e manifestações folclóricas pelo País. A trupe conta também com os designers Nina Calazans e o coletivo Goma Oficina, que assinam a produção do show.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.