A triste Biela, nas livrarias e no cinema

Enquanto lutava para encontrar o tom e o estilo mais adequados a Ópera dos Mortos, Autran Dourado foi levado a escrever a novela Uma Vida em Segredo, cuja história, segundo relatou mais tarde no livro Matéria de Carpintaria, ocorreu-lhe durante um sonho. "Não gosto da palavra inspiração, prefiro a expressão idéia súbita. E só depois que eu encontro a sua forma é que passo a trabalhá-la. Mas com Uma Vida em Segredo foi diferente. Ele me foi dado enquanto sonhava. Quando acordei, já estava com toda a história na cabeça", diz o escritor. Retorno às telas - Ele levou cinco meses para escrevê-la, tempo consideravelmente curto para um escritor que leva em média dois anos trabalhando uma obra. O romance foi publicado em 1964 e se tornou, para supresa do próprio autor, seu livro mais lido, embora a crítica quase nunca o coloque entre seus trabalhos mais importantes. Em fevereiro, chega às livrarias a nona edição de Uma Vida em Segredo, pela Rocco, que vem reeditando toda a obra de Dourado desde o ano passado. Poucos meses depois, provavelmente em maio, é a vez de o romance chegar às telas no aguardado retorno de Suzana Amaral ao longa-metragem, mais de 15 anos depois de A Hora da Estrela. Aos 74 anos, Autran é um dos mais respeitados ficcionistas surgidos na década de 40. Desde sua estréia com Teia (1947), ele adquiriu notoriedade ao construir uma obra dominada pelo tema da decadência de Minas Gerais, com sua sociedade estagnante, as velhas casas e o tédio, vistos por personagens introvertidos e solitários. Em livros como Tempos de Amar (1952), A Barca dos Homens (1961) e Ópera dos Mortos (1967) , ele exibe sua habilidade em diálogos e longos monólogos nos quais o estilo aparece retorcido como as linhas do barroco mineiro. O sucesso editorial de Uma Vida em Segredo foi uma surpresa para Autran justamente por não exibir tais características. Lembranças da roça - O livro conta história baseada em uma prima do avô do autor, que viveu em Monte Sião, interior de Minas, na década de 30. Mas não há referências cronológicas ou geográficas na ficção. Depois da morte do pai na Fazenda do Fundão, Biela vai morar com a família de um primo na cidade, onde não consegue se adaptar aos costumes e hábitos locais, permanecendo a maior parte do tempo calada e desfiando lembranças de sua infância na roça. Sua existência medíocre é sacudida quando lhe arrumam um noivo, mas este foge antes do casamento, e Biela retorna a seu mundo obscuro e silencioso, onde à companhia dos primos prefere viver com os empregados da casa e um cachorro. Embora seja herdeira e tenha posses, ela vive sem luxo ou ambição alguma.Suzana Amaral leu Uma Vida em Segredo há cinco anos. "Achei que o livro era adaptável. É curto, tem poucos personagens e um tom intimista", diz. As filmagens, realizadas no interior de Goiás, já terminaram e a diretora deve finalizar a montagem no mês que vem. A atriz estreante Sabrina Greve vive Biela, enquanto Cacá Amaral faz o primo Conrado e Eliane Giardini, sua mulher, Constança. Com um custo de US$ 150 mil, o filme vai ser lançado em breve.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.