A SELEÇÃO BRASILEIRA

Foi divulgada ontem, em Leipzig, na Alemanha, a lista dos 70 escritores brasileiros que vão participar da próxima Feira do Livro de Frankfurt, entre 9 e 13 de outubro. O número expressivo justifica-se porque o Brasil é o país homenageado deste ano do evento, o maior do mercado editorial do planeta. Entre os convidados (veja lista completa ao lado), figuram os cronistas do Estado Ignácio de Loyola Brandão, João Ubaldo Ribeiro e Silviano Santiago.

UBIRATAN BRASIL, O Estado de S.Paulo

15 de março de 2013 | 02h10

A seleção foi feita por meio de uma curadoria compartilhada entre o crítico literário Manuel da Costa Pinto, Antonio Martinelli, representando o Sesc, e Antonieta Cunha, diretora de Livro, Leitura e Literatura da Fundação Biblioteca Nacional.

Segundo eles, os critérios escolhidos para a formação da lista foram a diversidade e a pluralidade, o equilíbrio entre escritores consagrados e a nova geração, a variedade de gêneros (prosa, poesia, ensaio, biografia e crítica literária, literatura infantojuvenil e obras técnicas e científicas) e a qualidade estética. Além disso, privilegiou-se o convite a autores publicados ou em vias de publicação na Alemanha e em outros idiomas estrangeiros, bem como os principais premiados de literatura do Brasil, de 1994 até hoje.

"Toda curadoria pressupõe estabelecer um recorte, que pode ser temático e estético, mas que acima de tudo apresenta um panorama, uma amostragem da produção literária e dos saberes em torno do livro e da literatura no Brasil", afirma Martinelli, em material de divulgação enviado para a imprensa.

Além dos autores, o Brasil contará com uma intensa programação cultural, que ocupará importantes espaços culturais de Frankfurt, de agosto a outubro. Outros escritores foram convidados, mas não puderam acertar como Lygia Fagundes Telles, que justificou ainda estar em recuperação de uma fratura na bacia. "Mesmo assim, temos representantes da cultura indígena, afro, europeia, bem como temáticas de imigração e migração, além de representantes da literatura marginal e de diferentes estratos sociais e estéticas que marcam a obra plural desses autores", explica Galeno Amorim, presidente do Comitê Organizador.

De fato, a composição da lista mostra que há 33 autores de prosa, 11 de infantojuvenil, 8 de poesia, outros 8 de conhecimentos que incluem saberes e biografias, 6 dedicados à crítica e 4 representantes de quadrinhos e graphic novel. Segundo Manuel da Costa Pinto, a formação atende às necessidades pedidas pela organização da feira para o país homenageado. Assim, é possível não apenas apresentar um instantâneo de sua variedade literária, estética e ensaística, mas também reunir escritores que sintetizam suas transições culturais mais recentes, segundo o crítico literário.

"Muitos autores presentes na Feira de Frankfurt foram testemunhas e intérpretes desse processo e todos representam uma dinâmica que é expressa nos aspectos mais incandescentes, híbridos, da sociedade contemporânea como um todo - tal como será materializado nos encontros de escritores e no Pavilhão Brasil", completa Costa Pinto.

Para a abertura oficial da feira, no dia 9 de outubro, é esperada a presença da presidente Dilma Rousseff. O pavilhão do país homenageado será criado pelos cenógrafos e diretores Daniela Thomas e Felipe Tassara.

A presença brasileira na Alemanha, na verdade, já começou ontem, com a abertura da Feira do Livro de Leipzig, com a participação de diversos autores nacionais na programação que se estende até segunda-feira. Lá estão nomes como Tatiana Salem Levy, João Almino, Ronaldo Correia de Brito, Carola Saavedra e Ronaldo Wrobel, entre outros. Todos participam de debates ao lado de tradutores e escritores alemães.

Em junho, será divulgada toda a programação cultural brasileira na Alemanha e, entre agosto e outubro, cerca de 15 espaços culturais em Frankfurt (como museus, teatros, galerias e cinemas) oferecerão com destaque a programação nacional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.