A rainha Gisele, de volta aos desfiles ao vivo

Ela abriu o Fashion's Night Out, em Nova York, com 157 modelos e as criações para a temporada outono-inverno

Tonica Chagas, O Estado de S.Paulo

09 de setembro de 2010 | 00h00

A brasileira Gisele Bündchen voltou a estrelar um desfile ao vivo anteontem à noite, no Lincoln Center, em Nova York, depois de quase três anos sem aparecer em passarelas fora do Brasil. Ela liderou um elenco de 157 modelos, desfilando ao ar livre criações de designers internacionais para o outono e inverno deste ano, no maior evento de moda já realizado na cidade. "Tenho 15 anos de profissão, mas estava muito nervosa", comentou a modelo depois do desfile, suando, mas sorrindo sempre. "Foi a passarela mais comprida que já pisei."

O espetáculo, produzido pela revista Vogue norte-americana para promover a segunda edição nova-iorquina do Fashion"s Night Out e com parte da renda destinada ao New York City Aids Fund, ocupou a praça central do Lincoln Center, um dos maiores espaços do mundo dedicados à ópera, ao balé e à música clássica. Ali, de hoje e até o dia 16, serão realizados os desfiles da temporada primavera-verão 2011 da semana de moda de Nova York que, desde 1993, era apresentada no Bryant Park.

Descendo de um ônibus vermelho double-decker, que faz o circuito turístico de Manhattan, Gisele abriu o desfile seguida por modelos como a conterrânea Adriana Lima, a norte-americana Angela Lindvall, a canadense Coco Rocha, a checa Karolina Kurkova, a russa Sasha Pivovarova e a inglesa Naomi Campbell, que fechava a fila. Todas vestiam saias longas com camisetas da Fashion"s Night Out.

Após uma apresentação do rapper e estilista Pharrel Williams, no fim do desfile Giselle comandou as modelos de volta para o ônibus vermelho. Dessa vez vestiu um longo preto com flores rosa e tomara que caia da etiqueta inglesa Marchesa, inspirado na dançarina do século 19 Lola Montez. Tanto as modelos como as criações que elas desfilaram foram escolhidas pelos editores da Vogue. O show no Lincoln Center foi assistido por cerca de 1.500 pessoas e transmitido ao vivo pela internet.

Estímulo. Ideia também da editora-chefe da Vogue norte-americana, Anna Wintour, que agora se repete em outras cidades do mundo, a Fashion"s Night Out foi criada para reanimar o comércio de roupas e acessórios em Nova York, que despencou na avalanche da crise econômica de 2008. Nessa noite de compras, as lojas ficam abertas até as 23 horas para promover as coleções da estação que vai começar. Na cidade, a Fashion"s Night Out do outono-inverno será amanhã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.