A primeira vez do De-Phazz no Brasil

Banda expoente do nu jazz apresenta-se hoje no Sesc Pompeia, integrando o novo festival Alemanha Groove

JOTABÊ MEDEIROS, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2013 | 02h09

Expoente do nu jazz (ou new jazz, gênero que mescla eletrônica, soul, jazz e pop surgido em meados dos anos 1990), o De-Phazz também foi um dos pioneiros no gueto do drum and bass, ao lançar o disco De-Tunized Gravity, em 1997. Portanto, a banda alemã de Heidelberg chega ao Brasil pela primeira vez com 16 anos de atraso. O grupo é destaque da programação do festival Alemanha Groove, e toca esta noite no Sesc Pompeia, em jornada que começa às 20h30 (ao lado de DJ Gardener of Delights e Bahama Soul Club).

Balanço, suingue, bossa, vozes femininas que parecem vir da era dourada do jazz, trompetes, percussão caribenha, inflexões de soul music, apelo irresistível à dança. O inventor desse sound system é o alemão Pit Baumgartner, de 55 anos, que falou na semana passada ao Estado sobre sua primeira vez no Brasil. "O Brasil sempre foi muito inspirador para mim. Os grooves da bossa nova estão presentes em todo meu trabalho. Mas só agora que passei dos 50 anos é que consigo realizar meu sonho de vir tocar aqui", disse Baumgartner. "Até hoje, foi uma viagem somente na minha imaginação, um desejo que habitava minha mente. Eu não conhecia o Brasil, mas sempre amei misturar coisas que não parecem ter sido feitas exatamente para ser misturadas, como a bossa nova e a eletrônica. Com as novas ferramentas eletrônicas, isso me foi possibilitado".

Em faixas matadoras como Hell Alright, o De-Phazz funde até bossa com mambo, e tudo se encaixa perfeitamente. "Por que não viemos mais cedo? Porque os promotores não tinham interesse. Era muito caro cruzar o oceano, ninguém estava interessado. Não era uma música para encher estádios. Mas isso mudou, por isso estamos aqui", disse o músico.

Baumgartner diz que há, de fato, um parentesco entre o que faz o De-Phazz e bandas de acid jazz como Incognito, Digable Planets, Jazzmatazz, A Tribe Called Quest. "Categorias são para críticos, não funcionam para músicos. Músicos não falam em termo de evolucionismo, apenas fazem o que fazem. Se você vê coisas parecidas com o que fazemos, pode estar certo. Não sou a melhor pessoa para afirmar isso. O que posso dizer é que, para a gente, originalidade e humor são duas coisas muito importantes na nossa criação".

É irônico que o De-Phazz venha da Alemanha, berço da maior revolução da música eletrônica no século 20, por meio da banda Kraftwerk - praticamente a inventora de tudo que se ouve hoje. Porque o som do De-Phazz é uma antítese do Kraftwerk, não examina futuros distópicos da vida humana e move-se apenas por um princípio soberano: o prazer.

"Eu me divirto com a música. Gosto mais do pop do que da música eletrônica: gosto dos 'ganchos' de sucesso do pop, das melodias, das letras, do som mais orgânico. Não sou exatamente um cara daquela eletrônica marcial. Gosto do calor, detesto o frio", ele explica. "O jazz é um elemento comum em nosso trabalho, e isso acontece porque o jazz, para mim, oferece mais liberdade do que o rock ou a música erudita. É um gênero que se caracteriza pela improvisação, pelo movimento livre. Não sou muito bom em teoria musical, mas sei do que gosto".

Pit Baumgartner surgiu nos anos 1990 na cena alemã como DJ. Foi apelidado de "garoto-transistor" por causa de sua intimidade com as técnicas de baixa tecnologia e os gêneros antigos, como o jazz de Ella Fitzgerald (chegou a produzir uma reedição de Ella para a Verve). Passou a produzir faixas de grupos como Kool & the Gang (com Lauryn Hill), Boy George, Kurtis Blow, Morricone, A-ha e Alphaville, entre outros.

No começo dos anos 2000, ele fundou seu próprio selo musical, o Phazz-a-delic, pelo qual lança os discos do De-Phazz e seus projetos solo, como Tales of Trust (de 2008). "Quase não há mais selos, gasta-se muito dinheiro para produzir discos e mais ainda para promovê-los, e é preciso gastar mais do que se ganha. Então eu faço o trabalho todo, é mais interessante e econômico."

Baumgartner é o elemento fixo do De-Phazz. Entre os membros "volantes", estão a cantora Barbara Lahr e os músicos Karl Frierson, Pat Appleton e Markus Lang.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.