A plenitude de um rapper aos 24 anos

A carreira do rapper Bobby Ray Simmons, também conhecido como B.o.B, é curta, mas já anuncia uma alternativa para a pasteurização de Eminem. Fã dos filmes de Tarantino, ele conseguiu que Morgan Freeman participasse da faixa de abertura de Strange Clouds, a vigorosa Bombs Away Feet, peça híbrida que começa minimalista (com referências a Philip Glass) e segue com vocalise operística a serviço de um discurso contra o dualismo. B.o.B tem apenas 24 anos, mas é bastante crítico. Investe contra instituições (o pai é pastor evangélico), faz apologia de culturas alternativas e satiriza a histérica fixação dos americanos em celebridades. A música de B.o.B é ancorada no hip hop, mas incorpora referências eruditas à pintura tardia de Picasso (em So Good, elegia à subversão) e não tem pudor de produzir um libelo anticapitalista em Play for Keeps ou recorrer a palavrões (afinal, é um rapper) para provar que perder a cabeça é tão desejável quanto meditar (em Out of My Mind). B.o.B é polêmico. Aos 15 anos, compôs Cloud 9 em defesa da maconha. Hoje, maduro, prefere a música. Ela é menos previsível./ ANTONIO GONÇALVES FILHO

, O Estado de S.Paulo

14 Julho 2012 | 03h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.