A plateia no centro do palco

Peça da francesa Léa Dant, Antes de Partir privilegia relação com o público

Maria Eugênia de Menezes, O Estado de S.Paulo

04 de maio de 2011 | 00h00

Uma noiva perambula pelo centro da cidade. Já é noite, e seu vestido branco chama atenção dos passantes. Atrás dela, um grupo de pessoas segue em cortejo. Percorrem um quarteirão inteiro. Param para escutar histórias da moça. Continuam a andar. Súbito, estancam. Através de uma portinhola, adentram, entre curiosos e ressabiados, em um antigo casarão.

Em Antes de Partir, peça que abre temporada no Instituto Cultural Capobianco, as ações não esperam o público entrar na sala para começar. É ainda no meio da rua, à porta de entrada do teatro, que a diretora francesa Léa Dant transforma os espectadores em cúmplices de uma jornada. "Cada espetáculo é um convite para compartilhar. O teatro aqui se torna uma ferramenta, quase um pretexto para viver um encontro entre seres humanos no nível íntimo", diz a encenadora, que criou a montagem com atores brasileiros.

Diretora artística do Théâtre du Voyage Interieur, em Paris, Léa veio duas vezes a São Paulo - num total de cinco semanas - para conceber Antes de Partir. Toda a dramaturgia surgiu a partir de proposições dos próprios intérpretes, que se debruçaram sobre um mote comum: se cada um deles estivesse vivendo seus últimos momentos, o que consideraria mais importante? Qual episódio teria sido o mais marcante e definidor de sua experiência como ser humano?

Ao longo da noite, perambula-se pelo teatro para acompanhar as trajetórias de seis personagens. Conscientes da finitude próxima, eles compartilham seus questionamentos e angústias. Em troca, pedem por segredos e memórias de quem os assiste. Oferecem vinho. E tratam de, gradativamente, instaurar a fragilidade como esteio.

Não é a primeira vez que Léa Dant vem ao País. Em 2003, encenou por aqui Viagem em Terra Interior, trabalho que já dava sinais do lugar de destaque que a diretora reserva aos espectadores. Vendados, eles eram levados a estabelecer uma relação de confiança e dependência com os atores que os guiavam. "Um novo teatro pode passar por uma nova dramaturgia ou por uma nova cena. Mas, para mim, tem a ver com uma nova relação que se cria com a plateia", comenta ela.

Guiado por essa noção, Antes de Partir se propõe, sobretudo como um ritual. "Não quero fazer um espetáculo tradicional onde tudo acontece na hora certa,num palco distante e separado do público", define a diretora.

ANTES DE PARTIR

Instituto Cultural

Capobianco. Rua Álvaro de Carvalho, 97, tel. 3237-1187. 3ª e 4ª, às 21 h.

R$ 10. Até 29/6.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.