A mulher aranha de Babenco

As Apimentadas - Entrar

UBIRATAN BRASIL, O Estado de S.Paulo

18 Fevereiro 2012 | 03h09

para Ganhar

15H30 NA RECORD

(Bring it on: In It to Win It). EUA, 2007. Direção de Steve Rash, com Ashley Benson, Michael Copon, Cassie Scerbo, Jennifer Tisdale e Kierstin Koppel.

Carson vai disputar o mais importante campeonato de líderes de torcida e está determinada a levar sua equipe à vitória. Mas a rica Brooke também quer conquistar o campeonato. Enquanto as tensões aumentam, Carson se apaixona por Penn, sem saber que ele é do time rival. As duas equipes protagonizam uma espetacular sequência de luta de torcidas sem regras e são suspensas da competição. Com seus sonhos de vencer praticamente destruídos, as líderes das duas equipes percebem que terão de tomar medidas drásticas para permanecerem no jogo. Reprise, colorido, 95 min.

Nhô Caboclo e o Elo Perdido

19 H NA CULTURA

Brasil, 2002. Direção de Hermano

Penna.

Manuel Fontoura, artista plástico pernambucano que adotou o codinome de Nhô Caboclo, é o tema deste documentário que analisa o encontro entre duas culturas: a dos índios e dos afro-brasileiros. O diretor Penna ganhou projeção com Sargento Getúlio, um dos melhores (se não o melhor) trabalho de Lima Duarte no cinema. Reprise, colorido, 55 min.

Eu me Chamo Elisabeth

21H45 NA CULTURA

(Je m'Appelle Elisabeth). França, 2006. Direção de Jean-Pierre Améris, com Alba Gaïa Kraghede Bellugi, Stéphane Freiss, Maria de Medeiros e Benjamin Ramon.

Menina do interior da França sente-se sozinha em casa, entre o divórcio de seus pais e a saída de sua irmã mais velha para a faculdade. Ao encontrar um fugitivo da clínica psiquiátrica de seu pai no celeiro, ela cria amizade imediatamente, protegendo e cuidando dele. Inédito, colorido, 90 min.

Orfeu Negro

23 H NA TV BRASIL

(Orphée Noir). França/Itália/Brasil, 1959. Direção de Marcel Camus,

com Breno Mello, Marpessa Dawn, Lourdes de Oliveira, Léa Garcia, Ademar da Silva, Alexandro Constantino,

Waldemar de Souza, Jorge dos Santos, Aurino Cassiano e Marcel Camus.

Adaptado da peça Orfeu da Conceição, de Vinicius de Moraes, o filme de Marcel Camus foi premiado com o Oscar de melhor filme estrangeiro e com a Palma de Ouro em Cannes. A ação se passa durante o carnaval carioca, no fim da década de 1950, e mantém a estrutura do mito grego. Orfeu (Breno Mello) apaixona-se por Eurídice (Marpessa Dawn), uma jovem recém-chegada do interior. O interesse do rapaz desperta ciúmes em Mira (Lourdes de Oliveira). François Truffaut era garoto quando viu

o filme de Camus. Já era um cinéfilo e se escandalizou com o que lhe pareceu uma folclorização da obra de Vinicius. Uma excelente oportunidade para conferir se ele estava certo. Reprise, preto e branco, 100 min.

TV PAGA

Positivamente Millie

13H50 NO TELECINE CULT

(Thoroughly Modern Millie). EUA, 1967. Direção de George Roy Hill,

com Julie Andrews, James Fox, Mary Tyler Moore, Carol Channing, Beatrice Lilie, John Gavin, Pat Morita.

Duas garotas tentam realizar seus sonhos em Nova York, nos tumultuados anos 1920. Uma quer ser atriz, a outra quer ser secretária para fisgar um marido rico. Baseado em The Boyfriend, que foi um êxito de Julie Andrews no palco, o diretor Hill fez este musical com a atriz de Mary Poppins e A Noviça Rebelde, que já era uma grande estrela. O programa diverte (e inspirou depois um famoso musical da Broadway), especialmente por conta do elevador que só funciona quando alguém sapateia. Hill fez filmes importantes - Butch Cassidy, Golpe de Mestre - antes de abandonar o cinema para tornar-se professor. Como curiosidade, uma jovem e vibrante Mary Tyler Moore. Reprise, colorido, 138 min.

O Beijo da Mulher-Aranha

17H50 NO CANAL BRASIL

(The Kiss of the Spider Woman).

EUA/Brasil, 1985. Direção de Hector Babenco, com William Hurt, Raul

Julia, Sonia Braga.

Adaptação do livro de Manuel Puig sobre guerrilheiro que, nos porões de uma ditadura militar, divide cela de prisão com travesti que lhe conta as fantasiosas histórias da mulher-aranha. William Hurt, que pode estar tentando tirar do companheiro informações que interessam à repressão, foi melhor ator em Cannes e depois ganhou o Oscar. Considerado um dos melhores filmes de Babenco, merece revisão. Reprise, colorido, 121 min.

Ghost - Do Outro Lado da Vida

22 H NO TCM

(Ghost). EUA, 1990. Direção de

Jerry Zucker, com Patrick Swayze, Demi Moore, Whoopi Goldberg.

Jovem e bem-sucedido executivo é brutalmente assassinado, mas seu espírito não consegue passar do mundo material para o espiritual e, então, decide ficar na Terra para ajudar sua namorada, ameaçada por amigo sem escrúpulos e pelo bandido que o matou. Como no princípio não consegue se comunicar com os vivos, recorre a uma confusa e divertida médium. Grande sucesso de bilheteria no início dos anos 90, o filme impulsionou a carreira de Demi Moore, que já estava ascendente. Apesar de hoje parecer meio meloso, o longa vale pela presença de Whoopi Goldberg como a médium. Oscar de melhor atriz coadjuvante (o outro prêmio foi para roteiro original), ela garante a diversão. Reprise, colorido, 122 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.