A missão do escritor, segundo Jorge Amado

O depoimento sobre as suas idéias a respeito da ficção e da "missão" do escritor, que Jorge Amado publicou em 1971 num calendário, será lançado hoje em Salvador, na forma de um livro com 80 páginas e ilustrações feitas por artistas como Carybé, Calasans Neto, Carlos Bastos, Mário Cravo, Jenner Augusto e Floriano Teixeira. Carta a Uma Leitora sobre Romance e Personagens é o título do texto, que se insere na seqüência de escritos do escritor baiano que permaneciam inéditos em livro."É, certamente, um documento de real interesse, no qual estão retratadas as linhas mestras da composição dos personagens que povoam o universo de Jorge Amado", diz a diretora-executiva da Fundação Casa de Jorge Amado, a poetisa Myriam Fraga, na apresentação do volume. A publicação, de 3 mil exemplares, com 2 mil em português e mil em inglês, é feita por essa instituição com apoio da Braskem. Além de ser um livro bonito, com vibrante diálogo entre imagens e texto (o design gráfico é de Humberto Vellame e a coordenação editorial de Bete Capinan), deve-se salientar a importância desse depoimento, feito por um dos poucos e verdadeiros romancistas profissionais que já existiram neste País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.