'A manhã', de Gauguin, atinge US$ 39,24 milhões em leilão

A casa Sotheby's vendeu uma ampla coleção de obras por um valor conjunto de US$ 269,74 milhões

Efe

08 de novembro de 2007 | 05h02

"A manhã" ("Te Poipoi"), uma paisagem taitiana pintada por Paul Gauguin, foi arrematada por US$ 39,24 milhões, na quarta-feira, 7. A casa de leilões Sotheby's vendeu uma ampla coleção de obras por um valor conjunto de US$ 269,74 milhões.Antes da venda, a avaliação da firma britânica à obra-prima de Gauguin, adquirida pelo multimilionário americano e colecionador de arte Charles Payson em 1945, ficou entre US$ 40 e US$ 60 milhões. Gauguin pintou uma exótica cena com duas jovens taitianas em uma manhã de setembro ou outubro de 1892. A obra é considerada fundamental para se entender a passagem do impressionismo ao modernismo no século XX. Além de Gauguin, o espanhol Pablo Picasso chamou a atenção dos participantes. A escultura "Tête de femme (Dora Maar)" foi vendida por US$ 26,16 milhões a um investidor. O seu "Homme à la pipe" foi adquirido por US$ 11,8 milhões. "Der Wasserfall", de Franz Marc, também foi objeto de disputa, sendo arrematado por US$ 20,2 milhões. O leilão também contou com obras de Matisse, Mirò, Renoir, Monet, Feininger, Pissarro, Rodin, Signac, Sisley, Redon, Corot, Lipchitz, Léger, Giacometti, Cézanne e Van Dongen. No entanto, das 76 obras leiloadas, 20 não foram vendidas. Entre elas, "Femme Assise" e "La bonne de derain" ambas de Picasso e avaliadas em US$ 4 a US$ 6 milhões. O diretor do departamento de arte impressionista e moderna da Sotheby's, David Norman, explicou após o leilão que "houve bons momentos, como a venda da escultura de Picasso, e também maus, como com Gauguin, e os preços fixados estavam calculados em função da expectativas de mercado".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.