A mais famosa dupla de manicures suburbanas

A dupla de manicures suburbanas que vive correndo atrás de ?money no bolso, saúde e sucesso... Deborah Secco (Darlene) e Juliana Paes (Jaqueline) são a bola da vez e as mulheres mais esperadas deste carnaval. As atrizes, que serão rainhas de bateria, ganharam mais espaço na novela, tiveram seus destinos alterados na trama a pedido do público e surpreenderam em repercussão o próprio criador, Gilberto Braga.O autor conta que não imaginava a dimensão que Darlene e Jaqueline tomariam nas mãos de Deborah e Juliana. ?Eu não tinha as atrizes em mente para nenhuma das duas personagens. A Deborah foi sugestão do Dennis Carvalho e, quando a vi no teste, nem precisei terminar a fita. ?Já a linda Juliana foi escolhida pelo Sérgio Marques, os diretores e eu. E por unanimidade.?Deborah Secco e Juliana Paes falam sobre o sucesso de suas personagens, a carreira e suas relações com os flashes. Entre tapas, beijos e cutículas, o certo é que Jaqueline e Darlene já tinham, desde o início do folhetim, a função de aliviar o clima de tensão que pesa sobre os demais personagens.E não é que Jaqueline Joy e Darlene Sampaio se superaram nessa missão?Darlene, o sucesso de Deborah SeccoestadaoVocê imaginava que a Darlene faria tanto sucesso?Deborah Secco - Ah, deixa ela saber disso (risos). A gente espera o sucesso, mas nunca sabe a proporção que irá tomar.Você já fez várias novelas, fez uma protagonista em A Padroeira. Você sente que a Darlene superou as outras personagens?Nunca devemos comparar, pois é outra época. A Íris (Laços de Família), por exemplo, tomou proporções maiores. Vejo isso como uma coisa de momento. Uma hora você está fazendo uma personagem de sucesso, em outra hora, não.E você já entendeu qual é o segredo do sucesso da Darlene?Hoje em dia as pessoas vêem muita felicidade nessa coisa de ser famoso. A Darlene tem isso bem escrito pelo Gilberto (Braga). Ao mesmo tempo que ela tem essa coisa de maluca pela fama, deixa cair a máscara e se mostra uma menina apaixonada e insegura. Por ter esses dois lados, a Darlene conquista várias pessoas. Ela acha que só vai conseguir ser amada de verdade quando for famosa.Você se inspirou em alguém para compor a Darlene?Fiquei uma semana com as manicures do Andaraí.O que a Darlene tem da Deborah?Nada (risos). Criei todo um gestual carregado para Darlene, uma coisa meio adolescente obcecada pelos famosos. Eu mesma fui assim, queria casar com o Patrick Swayze (risos). Então coloquei um pouco disso nela. As adolescentes se mexem muito, mexem o tempo todo no cabelo, a Darlene é assim, é uma máscara que ela veste de proteção.Você acha que o seu romance na vida real como Marcelo Faria (Vladimir) interferiu nessa torcida do público?A gente fala pouco do nosso namoro (pausa). Claro que o romance da Deborah com o Marcelo não é conhecido de perto pelo público, acho que eles torcem mesmo é pelos personagens.Jaqueline, a descoberta de Juliana PaesestadaoComo você surgiu na TV?Juliana Paes - Fazia faculdade de comunicação social, mas já tinha trabalhado com publicidade. Não vivia como modelo, não. Era um bico porque precisava pagar a faculdade. Minha vida não tinha esse glamour de ?ser modelo?. Foi por causa de uma campanha, acho que para a Prefeitura do Rio, que me chamaram para fazer um teste para Laços de Família. Fui abençoada com a Ritinha, que caiu no gosto do público. E foi uma surpresa porque a princípio era para ser um personagem pequeno. Hoje em dia não acredito em personagens pequenos. Sei como um personagem pode crescer.Tinha vontade de ser atriz?Era o meu objetivo, mas eu e meus pais tínhamos medo. Então combinamos que era melhor eu fazer uma faculdade séria, ter um diploma, para depois estudar teatro. Não sou uma pessoa sonhadora, sabe? Queria ser atriz, mas nunca fui deslumbrada. Já passei por muitas dificuldades em casa e nossa vida nunca foi um mar de rosas. Acho que isso fez com que a gente encarasse a vida de forma real, sem fantasia. Meu pai me proporcionava uma vida legal até perder tudo por causa de um acidente... teve até traumatismo craniano.Como vive sua família hoje?Eu moro sozinha na Barra da Tijuca. Meu pai trabalha no departamento de trânsito de São Gonçalo. Minha mãe é babá nos Estados Unidos. Vive com uma das minhas irmãs, a Rosana, de 23 anos. Eu sou a mais velha, tenho 25 anos.Você sabe o que vai acontecer com a Jaqueline?Só sei que o "Cozinhando com Jaqueline Joy" será um sucesso. Sabe cozinhar?Não tão bem quanto a Jaqueline... Tem muita mulher melhor do que eu.Você se dá bem com a Deborah Secco?No início da novela falavam que eu e a Deborah não nos bicávamos. A gente ria dessa história. Descobri nela uma amigona, uma pessoa sensível... Ela é uma menina, brincalhona, e as pessoas esperam dela um comportamento de mulher. Estou amando essa nossa parceria.Você e a Deborah são as mais aguardadas deste carnaval...Estou ansiosa. Vou ser madrinha da bateria da Viradouro pela primeira vez.Nos ensaios, as pessoas a chamam de Juliana ou Jaqueline?Juliana ? (risos) Jaqueline.Vai posar nua?Sabe aquela música: ?eu não preciso de muito dinheiro, graças a Deus?... (cantando). Vivo com pouco, mas se a proposta for mudar a minha vida, aceitarei. Quero comprar uma casa para a minha mãe, uma para mim e um carro.Como gostaria que a Jaqueline terminasse na trama?Gostaria que ela se decepcionasse com essa história da fama pela fama. Descobrisse algo que a realizasse, que fosse feliz mesmo sem ser famosa. Quero que a Jaqueline dê uma lição às pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.