A iniquidade que nos envergonha

Júpiter e Urano em conjunção; a Lua continua crescendo no signo de Capricórnio.

astro@0-quiroga.com, O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2010 | 00h00

A iniquidade que nos envergonha, ainda que em si mesma signifique não haver mais vergonha perante a prática de crimes e incorreções, é a mais clara expressão de que o processo mundial requer intervenção divina. Os deuses se expressam através dos humanos e se pretendemos corrigir o rumo do mundo, teremos de começar o trabalho reformulando nossos valores íntimos. Esta transformação não pode acontecer como resultado de leis, isso nunca deu certo. A regeneração terá lugar entre nós quando, como indivíduos, sejamos conscientes do que nos limita em pensamento, palavra e obra. A iniquidade viceja perigosamente hoje em dia porque outrora e agora achamos que quando a testemunhamos não era tão importante lhe fazer frente e vencê-la.

ÁRIES 21-3 a 20-4

As coisas demoram muito mais do que o esperado, mas logo você perceberá que nada melhor poderia ter acontecido. É que na espera, ainda que tensa, muitas ideias amadureceram e relacionamentos inúteis se perderam de vista.

TOURO 21-4 a 20-5

Muitas são as tentações, mas um só é o caminho. Tudo parece conspirar para você se distrair e, perdendo o foco, desviar-se por assuntos que pareceriam interessantes, mas que não trariam nenhum resultado maravilhoso.

GÊMEOS 21-5 a 20-6

Há um momento certo para falar e outro para ouvir. O atual, certamente,

é tempo de ouvir e, por isso, não seria sensato você ocupar tempo demais conversando sobre assuntos que nem sequer seriam adequados.

CÂNCER 21-6 a 21-7

É importante cultivar uma aparência simpática e positiva, porém, ainda mais importante é que tais virtudes estejam arraigadas em sua consciência, pois, se tudo não passar de maquiagem, a hipocrisia tomará conta.

LEÃO 22-7 a 22-8

Encontrar pessoas que precisam de sua ajuda não pode ser considerado casualidade, probabilidade estatística. No Universo nada acontece por acaso, tudo responde à complexa fórmula matemática de encontros e desencontros.

VIRGEM 23-8 a 22-9

Nada deve ser protelado, tudo deve ser enfrentado no exato momento de acontecer. Deixar para depois significaria mandar tudo para aquela gaveta mental onde se acumula desnecessariamente um montão de obrigações.

LIBRA 23-9 a 22-10

O amor é, certamente, um atrevimento. Amar não é uma condição prazerosa, requer muito atrevimento e ousadia porque na prática consiste em dar mais do que se recebe, ajudar sem a perspectiva de receber algo em troca.

ESCORPIÃO 23-10 a 21-11

Suas necessidades emocionais são importantes, mas em nome delas não seria sensato atropelar

as pessoas, como se elas fossem obrigadas a supri-las. Há coisas mais importantes acontecendo o tempo inteiro.

SAGITÁRIO 22-11 a 21-12

Cumprir obrigações não precisa ser um exercício desprovido de emoção ou prazer. Pelo contrário, quando a alma entende perfeitamente o valor das obrigações, dedica-se a cumpri-las com extremo prazer.

CAPRICÓRNIO 22-12 a 20-1

O círculo familiar é feito de hábitos e, por isso, não contribui nem facilita a renovação. Agora você se encontra num momento em que se tornou imprescindível renovar-se. Por isso, melhor distanciar-se desse círculo.

AQUÁRIO 21-1 a 19-2

A eficiência, do ponto de vista humano, não pode medir-se como uma máquina. A eficiência humana não consiste apenas em cumprir

as tarefas como esperado, mas em estabelecer boa dinâmica de relacionamentos também.

PEIXES 20-2 a 20-3

Melhor dar conta do que acontece na hora em que o acontecimento surgir. Deixar para depois aumentaria o tamanho daquela gaveta inconsciente onde se acumulam outros assuntos. Isso só pode dar em ressentimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.