A história do design italiano, na Pinacoteca

Quem comparecer entre esta quarta-feira eo dia 23 à Pinacoteca do Estado poderá conferir a exposiçãoDesign Italiano - Coleção Histórica do Compasso d´Oro. Cercade 40 objetos, além de textos, desenhos, fotografias e esboçoscontam a história e a evolução do design italiano. As peças expostas foram premiadas pelo Compasso d´OroADI (Associação de Designers Italianos) e compõem a coleçãohistórica do prêmio instituído em 1954. "Essa é, sem dúvida, apremiação mais antiga do mundo, assim como a primeira associaçãode design. Quem comparecer à mostra poderá conferir um pouco daexperiência italiana. Não temos a intenção de impor um modelo oufazer algo colonialista, a proposta é trazer referênciaspara o Brasil", diz o presidente do Instituto Europeu de Design, Aldo Colonetti. Ao percorrer Design Italiano, pode-se observar o caráterevolutivo da montagem. Na primeira fase, marcada pelos passosiniciais do design - de 1945 ao final da década de 1950 -,surgem objetos do cotidiano, como rádios e aparelhos telefônicos, ainda simples, sem ousadias de traço. A segunda etapa começa nos anos 60 com um salto dequalidade. "Nessa fase, o design já havia conquistado o mercado_ os empresários perceberam a importância de integrar um desenhomais sofisticado ao produto final." Nesse período, as atençõesestão voltadas para casa e artigos domésticos. "No setorindustrial o destaque está no estilo mais arrojado de máquinasde calcular e de escrever da Olivetti." Para Colonetti, os anos 80 abriram as portas dosprodutos italianos para o mundo e da década de 90 para cá osobjetos estão condicionados ao uso agressivo de formas e cores, eo aspecto funcional deu espaço à influência do pós-modernismo."Com o avanço tecnológico, os produtos diminuíram de tamanho,as embalagens passaram a ter uma outra função." A exposição apresenta como tendência o uso de materiaisrecicláveis. A madeira perdeu seu posto para o alumínio emateriais sintéticos ganham cada vez mais a preferência dosprofissionais da área. "Uma das características dos anos 2000 éa leveza dos objetos e o alcance do design em todo o processoprodutivo, não somente em casas ou carros, mas em navios, porexemplo. Outro fator está em fazer um produto global, comlinguagem local." E o Brasil? O diretor do Instituto Europeu de Designafirma que o País possui profissionais talentosos, mas falta aconsciência do empresariado. "Se as indústrias dessem apoio aodesign brasileiro, explorando as características culturais,ganhariam mercado e, mais que isso, confeririam uma identidadeao produto brasileiro."Serviço - Design Italiano - Coleção Histórica do Compasso d´Oro.De terça a domingo, das 10h às 18h. Pinacoteca do Estado.Praça da Luz, 2, São Paulo, tel. 229-9844. Até 23/6. Abertura nesta quarta-feira, às 19h.

Agencia Estado,

11 de junho de 2002 | 16h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.