'A Guerra Está Declarada' retrata experiência de atores

O que é a doença de um filho? Uma guerra, na qual se combate para matar ou morrer. Na qual tudo vale, da força bruta à astúcia, dos melhores sentimentos aos mais baixos. Interessa viver. E vencer. É do que trata "A Guerra Está Declarada", de Valérie Donzelli, com roteiro de Jérémie Elkaïm. Na vida real, Valérie e Jérémie foram casados e o caso aconteceu com eles. O filho adoeceu gravemente. Valérie e Jérémie também são os atores do filme.

AE, Agência Estado

13 de janeiro de 2012 | 09h07

Eles vivem Romeo e Juliette, jovens que se conhecem numa balada, logo se casam e têm um filho, Adam, que, ainda bebê, começa a apresentar sintomas inquietantes. Em seguida, vem o diagnóstico e o calvário por médicos, hospitais, cirurgias, ressonâncias magnéticas, quimioterapias, a parafernália toda. Uma luta. Uma batalha. A guerra que, como todas, produz vítimas, mutilados e traumatizados.

Cenas realistas mesclam-se com outras delirantes e até operísticas. É assim quando a mãe recebe em Marselha o diagnóstico da doença do filho e tem de transmiti-la ao marido, que está em Paris e este precisa avisar a família toda do que está acontecendo.

No enfrentamento com o corpo médico durante uma doença grave às vezes temos a experiência direta do universo kafkiano. Há muito disso no filme. Ao mesmo tempo, vê-se a gratidão pela maneira como foram atendidos. Valérie disse que vive em um país no qual os procedimentos médicos, por sofisticados e caros que sejam, estão ao dispor de toda a população - e de forma gratuita.

A GUERRA ESTÁ DECLARADA

Título original: La Guerre Est Déclarée. Direção: Valérie Donzelli. Gênero: Drama (FR/ 100 min.). Classificação: 14 anos. Em cartaz.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.