'A fita Branca', Palma de Ouro em Cannes, estreia hoje

Depois de uma consulta, o único médico da cidade está chegando em casa. A poucos metros da porta, seu cavalo tropeça em um arame, colocado de propósito entre duas árvores, e o homem cai gravemente ferido. A queda marca a primeira cena de "A Fita Branca", filme do diretor austríaco Michael Haneke, que estreia hoje nos cinemas nacionais, depois de conquistar a Palma de Ouro do Festival de Cannes (2009).

AE, Agencia Estado

12 Fevereiro 2010 | 10h04

Um dos favoritos ao Oscar de melhor filme estrangeiro deste ano, o longa-metragem se passa às vésperas da Primeira Guerra Mundial, em um vilarejo alemão, onde crimes misteriosos começam a ocorrer. O primeiro deles tem relação com o acidente do médico. Em seguida, um celeiro pega fogo e o filho do barão é sequestrado durante a festa da colheita. Passado algum tempo, um garoto com síndrome de Down é torturado e encontrado com graves ferimentos nos olhos.

O medo se espalha entre os moradores que passam a viver em constante tensão e desconfiança. A cada novo crime são encontrados bilhetes que dão a entender que as vítimas são escolhidas de acordo com seus erros. Assim, os ataques seriam forma de castigar quem não se comportou bem.

Ao longo dos 145 minutos de filmes, uma narração em off vai orientando o espectador. A voz é do professor interpretado por Christian Friedel. Aos poucos, é ele quem monta o quebra-cabeça dos crimes. No filme, que também é indicado ao Oscar de melhor fotografia, Haneke optou por imagens em preto e branco e close-ups nos rostos dos atores. As informações são do Jornal da Tarde.

Mais conteúdo sobre:
cinema A fita Branca

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.