A família excêntrica de Babaloo

Garota Veneno

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

06 de junho de 2012 | 06h39

16H05 NA GLOBO

(The Hot Chick). EUA, 2002. Direção

de Tom Brady, com Rob Schneider, Rachel McAdams, Anna Faris, Matthew Lawrence, Sam Doumit,

Robert Davi.

Brinco mágico desencadeia processo que coloca Rachel McAdams no corpo de Rob Schneider - e vice-versa. Você pode imaginar que o gigolô americano, na pele de uma 'hot chick' - a garota quente, gostosa -, se presta a todo tipo de grosseria. Acertou. O humor de Schneider é assim mesmo, mas a boa surpresa desta comédia é que, nos momentos de contenção (emoção?), ele revela um talento genuíno. Aquele sujeito, sem crédito, é Adam Sandler - parceiro de Schneider que, aqui, exerce a função de produtor associado. Reprise, colorido, 104 min.

Os EUA vs. John Lennon

22 H NA CULTURA

(The U.S. VS.John Lennon). EUA,

2006. Direção de David Leaf e

John Scheinfeld.

O horário da Mostra resgata o documentário que reconstitui a trajetória do ex-Beatle, acompanhando a radicalização política que o transformou em um militante pacifista, em especial após a união com Yoko Ono. O interessante é que, inversamente, o filme também reconstitui o fortalecimento dos 'falcões' no governo dos EUA, daí o título que opõe John Lennon à Casa Branca de Lyndon Johnson, Ronald Reagan, etc. Inédito, colorido, preto e branco, 92 min.

TV Paga

O Assalto ao Trem Pagador

10H50 NO CANAL BRASIL

Brasil, 1962. Direção de Roberto

Farias, com Eliezer Gomes, Reginaldo Faria, Grande Otelo, Jorge Dória,

Ruth de Souza, Helena Ignez, Luiza Maranhão, Átila Iório, Fregolente,

Wilson Grey, Dirce Migliaccio.

Roberto Farias e seu irmão Reginaldo Faria serão homenageados este mês na Mostra de Ouro Preto. Nos anos 1960, Roberto, como diretor, e Reginaldo, ator, fizeram três filmes básicos - essenciais -, que compõem uma espécie de trilogia, por sua proposta estética e política. Cidade Ameaçada, Selva Trágica e, entre ambos, O Assalto ao Trem Pagador. Inspirado num caso célebre da crônica policial da época, o filme mostra quadrilha que se forma para roubar o trem pagador da Central do Brasil. Emergem dois personagens fortes e antagônicos - Tião Medonho, que representa a urgência do morro, da favela, e Grilo, o asfalto, com tudo o que representa de sedução pelo poder e pelo dinheiro. Muitas cenas antológicas, incluindo a de Grande Otelo bêbado. Reprise, preto e branco, 108 min.

Na Estrada

13 H NO TELECINE CULT

(Na Putu). Bósnia, 2010. Direção de Jasmilla Zbanic, com Zrinca Cvitsec, Leon Lucev.

Embora o título brasileiro seja

o mesmo, este filme não tem nada a ver com o On the Road de Walter Salles, que estreia

em julho nos cinemas do País. Aqui, o que a diretora do pre-miado - com o Urso de Ouro - Em Se-gredo conta é a história de um casal, ela aeromoça, ele um funcionário do aeroporto. Quando estabilizam a relação e resolvem ter um filho, descobrem que ele é estéril. Reprise, colorido, 100 min.

Caçada Sádica

14H50 NO TELECINE CULT

(The Hunting Party). EUA, 1971.

Direção de Don Medford, com

Oliver Reed, Candice Bergen, Gene Hackman, Simon Okland.

Gene Hackman pega em armas para vingar o estupro de sua mulher pela gangue de Oliver Reed. Um tema clássico do western, que inspirou obras famosas de Budd Boetticher e Henry King, ganha uma versão ultraviolenta, no que sugere uma contaminação do gênero norte-americano pelo spaghetti western, em voga na época. O detalhe insólito é o bordel equipado no trem. Reprise, colorido, 108 min.

Ladrões de Bicicletas

15H40 NO TCM

(Ladri di Biciclete). Itália, 1948. Direção de Vittorio De Sica, com Lamberto Maggiorani, Enzo Staiola.

O clássico neorrealista de De Sica conta a história de desempregado cuja bicicleta é roubada. Com o filho, ele vaga por Roma, tentando encontrá-la. O desfecho é poderoso e você não vai se esquecer a expressão do menino, Enzo Staiola. Pelo horário, a emissora deve apresentar o filme dublado. Por mais legítimo que seja o recurso - em todo o mundo, filmes são dublados nos idiomas nacionais -, não é menos polêmico, nem deplorável, principalmente quando aplicado a um filme que é considerado um dos maiores do cinema. Se houvesse a alternativa de ver com ou sem legendas... Há?

Reprise, preto e branco, 84 min.

Os Monstros de Babaloo

2H15 NO CANAL BRASIL

Brasil, 1970. Direção de Elyseu

Visconti, com Wilza Carla, Zezé

Macedo, Helena Ignez, Tânia Scher, Betty Faria, Jack de Castro.

Contemporâneo de A Família

do Barulho, de Júlio Bressane - no início das atividades da lendária produtora Bel-Air -, este é outro filme brasileiro do movimento marginal. Vanguarda pura, antecipa e suplanta John

Waters, até porque Wilza Carla, no auge, é mais Divine que a

própria mítica travesti norte-americana. Os monstros são os integrantes de uma excêntrica família que habita mansão na ilha de Babaloo. Por mais delirante que seja o mundo, segundo o autor, o Brasil cabe e se espelha em Babaloo. Reprise, preto e branco, 90 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.