À espera de uma aprovação do rei

Detalhes podem ser pequenos para os outros, não para ele. Roberto Carlos segura tudo o que lhe parece insatisfatório. Neste momento, véspera do dia em que parte em seu oitavo cruzeiro Emoções em Alto-Mar pelas costas de Santos, Búzios e Ilha Bela, ao menos três projetos esperam para sua aprovação em terra firme. O disco Louco por Você, de 1959, o primeiro de sua carreira e o único malvisto pelo próprio criador por ter uma qualidade de gravação sofrível e um repertório que, já disse ele, não é lá uma formosura, será retirado do site iTunes a seu pedido. Roberto quer remasterizá-lo antes de devolvê-lo aos parceiros da Apple, algo prometido para março.

JULIO MARIA, O Estado de S.Paulo

03 de fevereiro de 2012 | 03h08

O segundo investimento de vulto é um 'livro gigante', uma fotobiografia batizada apenas como Rei. O superlivro, a sair pela editora Toriba (a mesma que há meses lançou um título de luxo do Corinthians) tem a promessa da liberação do cantor também para março ou início de abril. "Para evitar possíveis polêmicas com biografia, usamos apenas fragmentos das letras de suas músicas com fotos", diz Pedro Sirotsky, responsável pela editora. O collector book chegará às lojas ao preço de R$ 6 mil. "Ele quer ver se a ordem das fotos está correta, como estão suas imagens em cada uma", diz Sirotsky. E sutilmente revela: Roberto se preocupa também com as rugas.

O terceiro projeto é o álbum Ao Vivo em Jerusalém. Prometido para o último Natal, o disco gravado no ano passado em Israel deve chegar às lojas no mesmo mês de março dos anteriores. E lá vem Roberto querendo melhorar os acabamentos deste que é um projeto muito especial: será seu primeiro álbum lançado mundialmente, em países de todos os continentes. Ao contrário de suas dobradinhas português-espanhol, que garantiam versões de seus discos na América Latina depois dos lançamentos em português, o novo CD sai ao mesmo tempo em vários países com músicas cantadas em cinco idiomas: português, espanhol, italiano, hebraico e inglês. E em quatro tecnologias: CD, DVD, Blu-Ray e 3D. "Ele só está terminando os retoques", ameniza Dodi Sirena, empresário do cantor.

Loucuras de amor. As primeiras notícias da semana eram de que Roberto havia entrado na Justiça contra o site iTunes para que seu disco Louco por Você deixasse de ser comercializado. Ouvidos pela reportagem, nem a gravadora Sony nem a empresa de Roberto, DC7, disseram ter feito tal procedimento contra o site iTunes. A Apple, empresa que gerencia o iTunes, não se manifesta sobre o caso, mas fontes internas garantem que nenhum ofício chegou à empresa pedindo a retirada. Dodi Sirena diz que o cantor aplaude a chegada do iTunes ao Brasil, que está entusiasmado com a iniciativa e sente que o site irá alavancar o mercado. A campanha de lançamento do iTunes foi feita justamente com a obra de Roberto Carlos. Sobre a retirada de Louco por Você, Sirena confirma. "Ele está solicitando por meio da Sony a retirada do disco para providenciar a melhoria do som. Aquele álbum foi gravado em três canais."

Na estratégia de lançamentos da obra de Roberto, o iTunes fez um escalonamento para colocá-la à venda. De três em três meses, novos lotes chegariam, respeitando uma ordem cronológica: anos 60, 70, 80 e 90. O disco Louco por Você não fazia parte do lote, que começa com Splish Splash (de 1963). Agora Dodi anuncia que estuda a liberação de todo o catálogo de uma vez só, a partir de, adivinha o mês? Março.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.