A dura vida dos vampiros da ficção

Atores de 'Vampire Diaries', que passa a ser exibida pela MTV, contam como lidam com as reviravoltas na trama

João Fernando, O Estado de S.Paulo

02 de outubro de 2013 | 02h42

ATLANTA - Sem VJs em seu elenco, a MTV da TV paga, no ar desde ontem, terá o reforço de vampiros no time. A partir de hoje, a emissora passa a exibir a série The Vampire Diaries desde a primeira temporada, que ficará na grade de segunda a sexta, às 20h30. As quatro primeiras temporadas, que já foram ao ar pela Warner no Brasil, serão reprisadas até fevereiro, quando estreia a quinta fase da trama, ainda inédita nos Estados Unidos.

Sucesso entre adolescentes de todo o mundo desde 2009, a série já mexe até com jeito de ser dos atores. "Hoje eu não digo mais 'oi', já chego mordendo o pescoço", brinca Paul Wesley, intérprete do vampiro Stefan Salvatore, em conversa com o Estado no set de gravação da atração, em Atlanta, nos EUA.

Stefan é uma das pontas do triângulo amoroso de protagonistas, ao lado da jovem mortal Elena (Nina Dobrev) e do centenário vampiro Damon (Ian Somerhalder), seu irmão. O trio vive seus dilemas amorosos na escola da fictícia cidade de Mystic Falls. Na trama principal, também está Jeremy (Steven McQueen), irmão de Elena, que se envolve com a bruxa com corpo de modelo Bonnie (Kat Graham).

Um fato curioso da série é que, ao longo das quatro temporadas, os personagens morrem e voltam à vida com frequência. "Em um dos episódios, eu morri, mas já estava de volta depois do intervalo", diverte-se Kat Graham. A atriz explica que não há muita diferença entre os momentos em que aparece morta e viva. "A atuação é a mesma, não pareço um zumbi."

Assim como em outras histórias do gênero, Vampire Diaries também trata dos antepassados dos personagens. Além de encarnar Elena, Nina Dobrev dá vida a Katherine, uma mulher de sua família que, séculos antes, se envolveu com os irmãos Salvatore. A atriz diz que interpretar duas pessoas ao mesmo tempo não a deixa mais cansada. "Nunca é entediante, pelo menos", garante.

Ao longo dos episódios, Elena tornou-se vampira, porém, terá de decidir se permanece assim ou volta a ser uma mortal. A mudança na trajetória da personagem deixou até os atores perplexos. "Fiquei surpresa por ter sido tão rápido, pois ainda tínhamos muito para gravar", relembra. Para encarar as reviravoltas bruscas no roteiro, o elenco tem facilidades. "Antes dos episódios, tiramos um tempo para nos prepararmos. Os roteiristas querem saber se estamos pronto", entrega Kat Graham.

Conviver com histórias de vampiros mexe com o imaginário dos atores. "Já tive todos os tipos de sonho. Algumas vezes, acordo assustado no meio da noite. E sempre ando com alguém nos estúdios", confessa Steven McQueen. Segundo funcionários da produção, os responsáveis por apagar as luzes do estúdio ao final do dia sempre o fazem em duplas.

As comparações com os filmes da saga Crepúsculo são inevitáveis para a equipe de Vampire Diaries, pois ambos os produtos mostram vampiros adolescentes. "Nós somos maiores que eles. São personagens diferentes, nosso triângulo amoroso é diferente", garante Pascal Verschooris, coprodutor executivo da série, lançada um ano após o primeiro longa da franquia. "Não sei se o programa teria funcionado tanto se fosse ao ar em outro momento, mas ter os dois ao mesmo tempo ajudou muito", reconhece.

Parte dos personagens da atração foi para The Originals, um título derivado que deve chegar ao Brasil no ano que vem. Verschooris participou da produção do filho menor. "Eles (Originals) estão tentando encontrar o lugar deles."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.