A distorção

Sol e Júpiter em sextil; a Lua míngua em Touro

Oscar Quiroga, O Estado de S.Paulo

25 Junho 2011 | 00h00

Dizia Confúcio que quando o Estado toma impostos excessivos do povo, ele mesmo reduz a capacidade nacional de criar riquezas. Nem os bandidos da floresta tirariam de suas vítimas mais que dois terços, porque o principal interesse deles seria que os mercadores prosperassem para continuar tendo neles as vítimas que proveriam com riquezas. A distorção que hoje vivemos é um atentado contra as leis cósmicas e caminha inexoravelmente para sua autodestruição, a qual é apenas uma questão de tempo. A única possibilidade de deter esse processo autodestrutivo seria criar grupos de trabalho nos governos, formados esses por humanos cuja vontade de erguer fortalezas éticas seria tão forte e inabalável quanto seus impulsos sexuais. Essa condição, por enquanto, não está disponível.

ÁRIES 21-3 a 20-4

Dar início ao que sua alma percebe ser a onda do futuro não é tão fácil quanto deveria. Teoricamente, todos deveriam apoiar essa onda porque todos se beneficiariam, mas a falta de visão atrapalha o processo.

TOURO 21-4 a 20-5

Tudo deveria seguir um padrão organizado e meticuloso a esta altura do campeonato, mas as coisas não são assim e será melhor lidar com a realidade do jeito que ela é do que ficar se lamentando pelo que deveria ser.

GÊMEOS 21-5 a 20-6

Querer demais que certos resultados aconteçam é um desejo legítimo, mas que não leva em conta o dia depois do suposto sucesso. Os resultados desejados não são o fim do caminho, apenas mais uma etapa desse.

CÂNCER 21-6 a 21-7

Você não deveria estar sozinho no caminho, mas como se atreveu a empreender situações discordantes com a realidade denominada normal, é natural que as pessoas ainda não tenham percebido a necessidade de se unirem a você.

LEÃO 22-7 a 22-8

Seus planos e estratégias andam tendo validade muito curta e não é por falta de empenho, mas porque as circunstâncias se alteram constantemente e sem prévio aviso. Melhor manter uma postura flexível em relação a tudo.

VIRGEM 23-8 a 22-9

A desunião se espalha como fogo na pólvora e ninguém parece enxergar direito o perigo que isso representa. Muita gente está disposta a dar tiros no próprio pé somente em nome de dar

o troco a supostas ofensas.

LIBRA 23-9 a 22-10

Em tempos loucos tome você atitudes mais loucas ainda! Nada mais garante que manter a cabeça no lugar e agir com bom-senso resulte em preservar as coisas em bom funcionamento. É necessário alterar-se também.

ESCORPIÃO 23-10 a 21-11

Tudo começará a dar verdadeiramente certo quando a compreensão se transformar em ação. Enquanto continuar havendo um abismo entre a percepção da realidade e suas atitudes, tudo continuará capenga.

SAGITÁRIO 22-11 a 21-12

É hora de fazer suas apostas e é justamente num momento assim que

se torna necessário atualizar a consciência de que apostar não é necessariamente ganhar, apenas arriscar-se a fazer uma dentre muitas opções.

CAPRICÓRNIO 22-12 a 20-1

O estado de tensão dos relacionamentos mais importantes não é necessariamente um mal em si mesmo, por trás dessa tensão está o passo seguinte que todas as pessoas envolvidas precisam dar. Só falta combinar com elas.

AQUÁRIO 21-1 a 19-2

O perigo da amplitude das perspectivas é acabar acontecendo nada. Sobrar opções pode ser tão pernicioso quanto não haver nenhuma, pois sua alma poderia encantar-se tanto com o panorama que acabaria se decidindo por nada.

PEIXES 20-2 a 20-3

As contrariedades criadas pelas pessoas que supostamente deviam apoiar você, em vez de contrariar, não devem ser tratadas como um péssimo agouro. As coisas são difíceis porque você pretende iniciar algo muito novo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.