Imagem Vanessa Barbara
Colunista
Vanessa Barbara
Conteúdo Exclusivo para Assinante

A didática de Jout Jout

Dentro da comunidade sub-30, Jout Jout é tendência.

Vanessa Barbara, O Estado de S.Paulo

02 Março 2015 | 02h05

Estamos falando de um videoblog (série de vídeos curtos com observações pessoais, ensinamentos, lembranças e desabafos) da niteroiense Julia Tolezano, de 23 anos, "uma draga de sentimentos, um vórtice que aspira todas as atenções num raio de mil quilômetros" - como definiu um leitor desta coluna.

Com o nome "JoutJout Prazer", o canal de YouTube foi criado em maio de 2013 e já contém verdadeiros clássicos do videoblogging brasileiro. Jout Jout possui tutoriais que ensinam a limpar a geladeira, dar banho no cachorro e lavar o carro. Fala sobre espíritos, biometria, Interestelar, naturismo, Romero Britto e como fazer cocô sem perder o romantismo de um namoro recente. Não há roteiro e tampouco um rumo, como se pode ver nos momentos em que ela hesita e fala qualquer coisa tola com um ar resignado.

Jout Jout pode decidir demonstrar "como devemos nos portar diante de pequenos problemas que nós pensamos que são grandes problemas porque a nossa perspectiva é esquisita", como ocorreu num vídeo recente. Na ocasião, ela usou um brinquedo de encaixe chamado Urso Jumpy para tirar conclusões edificantes sobre a vida, ainda que aleatórias: quando Jumpy não consegue enxergar em perspectiva, "ele nutre aqueles problemas dentro dele. E aí depois de um tempo ele... morre".

Trata-se de um humor seco, monocórdio e absolutamente conformado com o fardo da existência - um bom exemplo é o vídeo "Tá todo mundo mal", no qual Jout Jout confessa: "Ontem eu me dei conta de que não trocava de roupa há três dias".

Um dos meus preferidos é "Alerta encrenca", no qual a moça elenca seus defeitos para dissuadir possíveis admiradores; ela assume que seu sistema digestivo não funciona bem, que gosta de fazer coreografias em dupla e que possui gordurinhas localizadas. "Você quer alças pra você? Alças nas costas?" E acrescenta, referindo-se ao namorado: "Caio aguenta porque ele é um santo".

A graça é ver que Jout Jout usa seu didatismo sério para instilar pérolas de sabedoria nos espectadores, tal qual uma palestrante da Casa do Saber. Só que o tema é: calcinhas. "Eu sou tão didática que dá até nervoso", admite.

Num vídeo sobre autoestima, ela recomenda assistir a algum filme "de Universo" para ver o quão pequena é a Terra, e então perceber como são minúsculas as suas celulites. "Se não dá pra ver de um satélite, deixa pra lá", ela diz. Também aconselha a encontrar, no corpo, duas pintas que se pareçam com olhinhos e desenhar sorrisos com uma caneta.

Jout Jout diz que decidiu fazer um blog para superar sua aversão a críticas. "Na internet, as pessoas não têm medo de te machucar; elas te machucam por puro prazer", declarou.

Por isso, todas as terças e quintas, Jout Jout passa vergonha em larga escala. "Eu só meio que vou falando e vocês meio que vão ouvindo e a gente meio que vai se amando", conclui.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.