A dependência

A Lua ingressou no signo de Áries, onde começa a minguar lentamente

astro@0-quiroga.com, O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2010 | 00h00

A óbvia dependência que há entre todos os seres humanos é a prova cabal da unidade de nossa espécie. A óbvia dependência de nosso reino com outros reinos e com o próprio planeta Terra é outra prova da unidade, assim como a dependência de nosso planeta Terra em relação ao Sol e deste com a Galáxia nos leva a perceber a total unidade do Cosmo inteiro. A discórdia, o pecado, o demérito e a ignorância acidental ou intencional da Unidade, tudo isso também está incluído nessa unidade integrada e coesa que é o Cosmo. Por que nos preocupamos tanto, então? Certamente porque em nossas cavilações íntimas percebemos que todos poderíamos fazer muito mais do que fazemos. Abandonar-se à indolência quebra o circuito de constante esforço de integração evolutiva.

ÁRIES 21-3 a 20-4

Quando se tem um propósito, os problemas viram facilmente soluções. Porém, quando há falta de propósito definido, tudo vira problema, até as coisas simples da vida que só serviriam para o entretenimento.

TOURO 21-4 a 20-5

É inevitável julgar os semelhantes. Mas quando você observa sinceramente os julgamentos que faz de certas pessoas, comprova que critica nelas o que mais lhe desagrada em seu próprio interior. Isso se chama transferência.

GÊMEOS 21-5 a 20-6

Os laços que prendem você a pessoas e circunstâncias são os mesmos que sua alma precisa superar. O único método eficiente de superação consiste no desapego, uma virtude pouco praticada por nossa humanidade.

CÂNCER 21-6 a 21-7

A insegurança só poderia ser sentida pela alma que deseja muito conseguir resultados perfeitos. Como a perfeição é trabalhosa e aparentemente impossível de obter,

então a alma se sente insegura antecipando os resultados.

LEÃO 22-7 a 22-8

Só o perdão liberta as pessoas. Por isso mesmo é que se diz que a liberdade tem seu preço, já que em geral as pessoas estão muito mais dispostas a perpetuar laços de ódio e discórdia do que a se perdoarem mutuamente.

VIRGEM 23-8 a 22-9

A única forma de não experimentar frustrações é não cultivar expectativa nenhuma sobre nada nem ninguém. Esse grau de desapego só é possível para quem já iniciou a aproximação ao espírito. Vale a pena esse esforço.

LIBRA 23-9 a 22-10

É mais fácil reunir pessoas para se queixarem do que congregá-las em torno de um bem comum. O desprezo, o ódio, o sentimento miserável, todas as condições ne-gativas ainda congregam mais do que as positivas.

ESCORPIÃO 23-10 a 21-11

A demonstração de força não precisa ser necessariamente brutal. Em muitos casos, a brutalidade é uma clara expressão do medo que se sente e, por isso, não é tão forte quanto parece. A serenidade é muito mais forte.

SAGITÁRIO 22-11 a 21-12

A fé será logo substituída pelo conhecimento direto da verdade e, assim, nossa humanidade não terá mais como fingir que não vê o que vê. Contudo, aquilo que precisa ser visto é tão inverossímil que ainda requer de fé.

CAPRICÓRNIO 22-12 a 20-1

Sobram razões para queixar-se, mas de que adiantaria exercitar esse direito? Com certeza, as queixas não ajudarão a solucionar o que as provoca e em muitos casos aprofundarão o desconforto experimentado.

AQUÁRIO 21-1 a 19-2

Certas questões voltam à tona e não são muito agradáveis à primeira vista. Porém, são exatamente essas que precisam de atenção e cuidado, de modo que sejam curadas e transformadas nas virtudes potenciais que ocultam.

PEIXES 20-2 a 20-3

A repetição dos mesmos assuntos enche de tédio sua alma, mas neste momento seria melhor combatê-lo do que entregar-se a ele, ainda que as razões para isso sejam mais fortes do que as que sugeririam superá-lo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.