Roberto Mourão/Divulgação
Roberto Mourão/Divulgação

A comédia agradável de Bernard Shaw

Triângulo amoroso está em segmento que o autor de mais de 50 peças batizou de 'teatro agradável'

Maria Eugênia de Menezes, O Estado de S. Paulo

16 de setembro de 2010 | 06h00

Depois de uma bem-sucedida temporada paulistana e uma turnê nacional que incluiu 17 cidades, o Núcleo Experimental reestreia nesta sexta, 17, seu espetáculo Cândida, comédia de Bernard Shaw que encerra a trilogia do diretor Zé Henrique de Paula sobre a identidade masculina (R&J e Mojo foram as duas anteriores).

 

O elenco original está mantido: Bia Seidl no papel-título, Sergio Mastropasqua, Thiago Carreira, Fernanda Maia, Thiago Ledier e João Bourbonnais. O cerne da trama está num triângulo amoroso e a peça faz parte do segmento que Shaw, autor de mais de 50 textos para teatro, batizou de "teatro agradável". A autoimagem do homem maduro está posta em questão o tempo todo nesta comédia irreverente, irônica e com diálogos afiados.

 

Para a nova temporada, que prossegue no Teatro Augusta até 19 de dezembro, o grupo decidiu cuidar do que chama de "democratização do acesso", ou seja, haverá sessões gratuitas para escolas e ONGs.

 

Cândida - Teatro Augusta. Rua Augusta, 943, tel. 3151-4141. Sextas (R$ 30) às 21h30, sábados (R$ 60) às 21 h e domingos (R$ 50) às 18 h.

Tudo o que sabemos sobre:
Cândida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.